“Eu me aproximei ainda mais de Deus por causa do câncer”- Marcos paulo, diagnosticado com linfoma de hodgking

Hoje eu quero compartilhar a história do Marcos Paulo, que tem 21 anos, foi diagnosticado com linfoma de Hodgking em dezembro de 2014 e finalizou a parte mais pesada do tratamento em agosto de 2015.

Marcos Paulo ainda tem 2 cirurgias pela frente, tem que fazer a retirada do cateter. Mas hoje, com exceção dos check-ups periódicos, ele leva uma vida quase normal.

Quando eu digo “quase” é porque quem passou por uma experiência como essa, nunca mais será o mesmo. E mesmo o meu novo “amigo de destino” tão jovem, já tem um monte de ensinamentos pra nos passar…

E generosamente, compartilha sua história com o objetivo de fortalecer os que ainda estão no começo da jornada. Gratidão pela sua coragem de se expor e compartilhar sua história conosco.

linfoma de hodgkin

O Início

“Quando eu tinha mais ou menos 17 anos comecei a notar que algo de estranho estava acontecendo comigo,  mas não liguei porque até então não doía e não me incomodava em nada…
Passaram-se 3 anos e só depois desse tempo todo fui perceber que um nódulo estava se desenvolvendo na minha axila. Fiquei tenso, pensativo, mas mesmo assim preferi manter segredo. Por não ter o costume de tirar a camiseta na frente das pessoas ninguém nunca iria saber.
Eu queria saber o que seria de fato aquele nódulo. Comecei pesquisar, mas já fui logo pesquisando sobre tumor e câncer, li muitas coisas, mas esse “segredo” ainda era mantido comigo.
Chegou um dia em que esse segredo não podia ser mais um “segredo” e percebi que estava cada vez pior.

Parece brincadeira, mas a palavra Câncer estava me perseguido, era na TV, na internet, em todos os lugares.
Um dia uma amiga minha me ligou. Infelizmente, um tio dela tinha acabado de morrer por causa de um tipo de Câncer.

Nossaa!!!! O meu coração disparou, entrei em desespero. Eu tinha que resolver minha situação aquele dia, mas não sabia como.

Resolvi escrever  para duas amigas (que são como mães: a Marcillene e a Edna) contando tudo o que estava acontecendo e pedi ajuda.

Escrevi pra elas porque eu não conseguiria contar pro meus pais. Imagina só: seria difícil eu chegar à minha mãe e dizer: “Mãe, suspeito que tenho câncer.”

Eu sabia que estava doente, mas a minha mãe já estava sofrendo muito com outros problemas, se eu contasse o que estava acontecendo comigo, eu iria me sentir culpado por mais uma “decepção”.

Mas eu tinha que fazer algo…
Então, no dia seguinte eu fui para o restaurante. A Edna perguntou que nódulo era aquele e se era pequeno. Mal sabia ela que era enorme. Eu podia facilmente compará-lo ao tamanho de uma laranja, era um tumor enorme.

Chamaram a minha mãe , ela viu. Comecei a chorar sem parar, só sabia chorar.  Entramos no carro e fomos para uma clínica, foi onde tudo começou…

No começo me senti perdido com tantos exames, foi tudo muito corrido, tudo muito rápido. Conseguimos uma vaga no Hospital de Base. Lá fui diagnosticado com Linfoma, um tipo de câncer. Entrei em desespero.
Em meio a essa correria, marcaram uma biopsia e um monte de outros exames. Tudo corria muito rápido. Não dava tempo de pensar.
Pra quem nunca foi fã de Hospital, era como se começasse uma sessão de tortura. Era agulhadas e mais agulhadas, exames e mais exames, um mais estranho do que o outro.

O médico já estava ciente de tudo, da gravidade do problema, mas ele não falava pra não me assustar.Então foi marcada a primeira cirurgia…

Comecei a imaginar muitas coisas, eu estava morrendo de medo. Fiz a primeira cirurgia. Foi horrível!! A anestesia local não dava efeito algum então eu senti bastante, a dor inexplicável, você não tem controle do seu próprio corpo, são pulos involuntários de tanta dor.  Fiz mais 4 vezes.

Eu perdi muito peso, 15 kg pra ser exato, apareciam diversos caroços no meu corpo e depois sumiam. Eu suava muito a noite e também tinha falta de apetite.
Depois de tantas cirurgias comecei a temida “Quimioterapia”. Eu não fazia ideia de como seria isso, eu já estava indo para o hospital simplesmente por ir, já estava cansado, mas se era pra fazer então vamos lá, deitava lá e fazia o que tinha que ser feito.

linfoma de hodgkin

Fiz 8 ciclos de quimioterapia, sendo eles de 21 em 21 dias. Eu chegava às 8h da manhã e saia às 18h só tomando remédios.

Quando terminava eu já estava em outro mundo, parecia uma viagem. Quando chegava em casa só conseguia deitar na cama de qualquer jeito e dormia. Minha avó que tirava o meu tênis.

Era doloroso vê-la chorando, eu ficava incomodado com o sofrimento dela. Eu queria sofrer sozinho. Não gostava que meus parentes chorassem perto de mim.

Então eu guardava muitas coisas só pra mim, eu sofria calado, mas quando estava sozinho no meu quarto acabava explodindo, começava a chorar, era muita pressão, muita coisa pra mim.

Eu não estava aguentando. Fui encaminhado para um Psicólogo. Não quis ir, disse que estava tudo bem, Mas volta e meia eu estava no meu quarto chorando.

Chegava a ficar 2 semanas deitado, não tinha controle sobre mim, não tinha forças. Nisso eu ia passando de fase.

Eram tantas coisas que eu achava que nunca iria acabar, eu terminava uma coisa vinham mais 6, era muito puxado.

Perder o cabelo foi um momento difícil porque sou vaidoso, mas acho que não fiquei tão feio rsrs.

Até que um dia eu comecei ver que as coisas estavam indo bem, o tumor estava diminuindo.
Pronto, acabou a quimioterapia, porém vinham outros milhões de exames. Não foi nada fácil, a maioria dos exames tinham que ser feitos em clínicas particulares, eram exames caríssimos.

Foram mais 14 mil reais com exames. Eu me sentia como um peso, pensava que eu só vim para esse mundo pra acabar com tudo.

Minha família não estava bem financeiramente e isso me deixava pior. Tinham dias que não tínhamos dinheiro nem pra chegar até o hospital, mas Deus fazia aparecer.

Deus usou muitas pessoas pra me ajudar, ganhei muitos exames que eram extremamente caros. Tomava 19 comprimidos por dia, isso Deus nunca deixou faltar!
Recebi o resultado dos exames. Estava tudo bem em parte, ainda tenho que fazer check-up  várias vezes, tenho duas ou três cirurgias pela frente.

Mas graças a Deus está muito melhor do que antes.

linfoma de hodgkin

A influência da fé na minha cura

Bom, eu também recebi muita ajuda de amigos e da Igreja. Muitas orações e eu não tenho vergonha de dizer que eu me aproximei ainda mais de Deus por causa do câncer. Infelizmente eu fui pela dor, mas fui…

Voltei com tudo, estava em todos os cultos, inclusive os da semana e não apenas nos finais de semana.  Por várias vezes oravam por mim.

Cada episódio desses era longo sabe, falando assim parece que era um após o outro, mas não, eram longos… Tinha fases, cada uma mais longa que a outra. E Deus ali, sempre cuidando de mim.

Fui para um evento da Nova Geração. Lá Deus falou muito comigo. Fui à sala do Sobrenatural, Deus usou as pessoas pra falarem comigo.

No último dia, eu comecei  a sentir uma dor de dente insuportável. Um amigo meu me levou para o hospital. Nisso acabamos perdendo boa parte do último dia de conferência, mas mesmo com a boca anestesiada quis ir ao corredor de fogo.

O que é o corredor de fogo? Várias pessoas fazem duas filas formando um corredor e você passa no meio deles até chegar no último. Cada pessoa que forma a fila vai lançado palavras sobre você e orando.
Nesse corredor aconteceu algo muito forte. Um menino que nunca me viu e eu nunca o vi, ele não sabia de nada, tocou com a mão bem no tumor e disse que eu estava curado. Ali eu tive a certeza de que Deus realmente usa quem ele quer e onde ele quer para poder falar com seus filhos. Hoje estou curado do câncer graças à misericórdia e o amor de Deus.

linfoma de hodgkin

A MUDANÇA
Quando eu realmente decidi contar o que estava acontecendo comigo, o câncer já estava avançado e espalhado pelo corpo todo, as chances que eu tinha de ser curado e continuar vivo já eram bem poucas, mas Deus é dono dos nossos dias e tudo está sob o controle das Suas mãos.

Eu posso dizer que Deus me deu uma segunda chance e eu não a desperdicei.

linfoma de hodgkin

Com o câncer eu aprendi a dar valor a muitas coisas que antes passava desapercebido, eu passei a me importar mais com as pessoas, tenho vontade de ajudar. Eu passei a ser grato a Deus por cada segundo de vida.

Cada dia da minha vida é um milagre só pelo fato de poder abrir os olhos todos os dias pela manhã. Deus soprou em minhas narinas mais uma vez e me deu novamente o folego de vida.
Infelizmente Deus permitiu que eu passasse por isso pra perceber o quão poderoso Ele é.
Deus poderia ter me curado em qualquer uma daquelas orações, mas me conhecendo bem eu não daria a mínima, talvez eu fosse continuar vivendo a mesma vida vazia e sem propósito algum.
Isso tudo me fez uma nova pessoa, eu era muito nojento. Eu sofri bastante, nunca imaginava isso na minha vida. eu vi no hospital pessoas morrem com o mesmo problema, na minha cabeça eu seria o próximo.

Hoje o meu coração é grato a Deus, conheci muitas pessoas lá na mesma situação que eu. Eu dava força pra eles do meu jeito sabe, sempre sorrindo, brincando…
Eu confiei em Deus, tive fé e isso foi o suficiente para estar aqui hoje como um testemunho vivo do poder de Dele. Se fosse preciso passar por isso de novo pra mostrar o quanto Deus nos ama, eu passaria sim.
Hoje eu digo à você: Se você tem uma família, amigos nunca esconda, nunca sofra sozinho. Talvez se eu tivesse escondido por mais algum tempo eu não estaria aqui hoje contando a minha história.

Eu tive que experimentar essa dor porque eu nunca tinha experimentado de Deus.

Eu sei que tudo tem um propósito e eu espero que minha história te faça ver que “Tudo você pode nAquele que te fortalece – Filipenses 4:13”.
Eu cri e hoje estou curado do Cancêr.

Por Marcos Paulo

 

 

Compartilhe a sua história de superação e seus aprendizados com a gente. Entre nessa corrente do bem e fortaleça o ânimo de outros que ainda estão no início dessa jornada.

Escreva para : patricia@dascoisasquetenhoaprendido.com.br

7 Comentários


  1. Bela História do Marcos, que Deus continue te abençoando rapaz.

Página 1 de 2 Próximo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *