Quem tem medo de biopsia?

Perdi o medo de biopsia, depois que fiz o procedimento lá na Alemanha, onde fui diagnosticada.

Vi que biopsia é muito simples, quase que sem dor (na verdade só dói na hora da anestesia local) e que não deixa cicatriz.

No dia seguinte, o meu seio, mais especificamente na área do nódulo, estava dolorido. E eu tinha uma pinta vermelha como uma picada de mosquito. Nada mais!

Inclusive corri, como de costume, uma hora no dia seguinte.

Me senti tão ridícula depois que fiz a biopsia que comecei a pesquisar sobre o assunto.

Perguntei para várias amigas sobre biopsia e todas sempre tinham uma história, sempre muito assustadora pra contar. Percebi que eu não era a única a ter medo de fazer biopsia.

Sabe, quando somos crianças e os adultos colocam alguns medos, totalmente sem propósito, na gente? Tipo, bicho papão, o velho do saco, a sereia de algodão, a mulher morta no banheiro da escola, etc.

O fato é que quando temos um nódulo, o único exame que nos dá um resultado com 100% de exatidão é a biopsia.

Eu mesma, já havia feito mamografia e ultrassonografias do meu seio. E a mastologista que me tratava havia avaliado o meu tumor como um nódulo benigno, no qual fazíamos acompanhamento há cada seis meses.

Esse fato atrasou o meu  diagnóstico e, consequentemente , meu tratamento em quase 1 ano.

Além disso, precisei fazer uma Mastectomia radical e um tratamento muito mais agressivo. Já que o Câncer estava localmente avançado.

biopsia-diagnostico-cancer-dascoisasquetenhoaprendido-1

Então pesquisei bastante sobre os tipos de biopsia no seio.

A explicação do site www.oncoguia.org.br esclarece bastante.

Fiz um resuminho com os tipos de Biopsia:

Biópsia é a remoção de uma pequena quantidade de tecido para avaliação anatomopa-tológica da presença ou não de câncer.Os principais tipos de biópsias para diagnóstico do câncer de mama são: PAAF, Core Biopsy, Mamotomia e Biópsia Cirúrgica

  • PAAF

A punção aspirativa por agulha fina (PAAF) consiste na remoção de uma amostra de células do tecido mamário alterado, para exame. A PAAF é um procedimento rápido e pode ser realizado com anestésico local, embora normalmente não seja necessário.

Na PAAF é utilizada uma agulha de calibre de 20/21G acoplada a uma seringa para aspiração. O posicionamento da agulha é comumente guiado por ultrassom. A coleta do material é realizada com movimentos de vai-e-vem da seringa.

O procedimento descrito poderá ser repetido diversas vezes, até que se obtenha quantidade suficiente de material, que posteriormente será colocado em lâminas. O material obtido é submetido à análise citológica. Um pequeno curativo será colocado sobre a região puncionada.

biopsia-diagnostico-cancer-dascoisasquetenhoaprendido-2


  • Core Biopsy (a que eu fiz)

A biópsia de fragmento com agulha (BFA) ou core biopsy consiste na retirada de fragmentos de tecido, com uma agulha de calibre um pouco mais grosso que da PAAF, acoplada a uma pistola especial. O posicionamento da agulha de biópsia poderá ser guiado por mamografia digital estereotáxica ou ultrassom.

O procedimento é realizado com anestesia local e geralmente se retiram vários fragmentos de alguns milímetros. Esse procedimento permite visualizar na tela do equipamento de imagem, em tempo real, a área a ser biopsiada, a agulha, e o seu trajeto até a região da alteração, além da quantidade de tecido que ainda deverá ser retirada.

Após localização da área a ser biopsiada é feita assepsia da pele e, em seguida, o trajeto da agulha de biópsia será anestesiado.

Ao término do procedimento será feita a compressão local, a fim de evitar sangramento da área biopsiada e será feita a aproximação das bordas da incisão com um curativo compressivo.

Este procedimento não necessita internação, a paciente deve retornar no dia seguinte para trocar o curativo.

biopsia-diagnostico-cancer-dascoisasquetenhoaprendido-3


  • Mamotomia

A mamotomia consiste na retirada de fragmentos de tecido, utilizando uma agulha mais grossa, que a core biopsy que por sua vez está acoplada a um sistema a vácuo.

A agulha tem corte rotatório conectado à cânula que permite a sucção do tecido mamário. O procedimento pode ser guiado por ultrassom ou mamografia.

A grande vantagem dessa técnica dá-se pela melhor capacidade do estudo de microcalcificações, densidades assimétricas e distorções, somente caracterizadas pela mamografia e com elevado índice de erro na core biopsy.

Outras vantagens da mamotomia incluem:

inserção única da agulha com único disparo, colocação de clipe metálico marcador para abordagens futuras.

E melhor controle da região e obtenção de fragmentos contíguos com maiores dimensões da lesão, resultando em menor número de resultados subestimados.

Similar a core biopsy a área a ser biopsiada, a sonda de biópsia e o seu trajeto até a alteração, além da quantidade de tecido que ainda deverá ser retirada são localizados na tela do equipamento de imagem utilizado.

Durante o procedimento a sonda permanece no mesmo local até a retirada da quantidade suficiente de material.

Que é colocado em um frasco com formol e encaminhada ao laboratório de patologia.

Em alguns casos, antes da retirada da sonda do local da biópsia, pode ser colocado um clipe marcador, de titânio, que servirá de guia para uma eventual intervenção cirúrgica.

Ou simplesmente para orientar os futuros controles mamográficos.

Terminado o procedimento, será feita a compressão da região a fim de evitar sangramento da área biopsiada.

Em seguida, é feita aproximação das bordas da incisão com um curativo compressivo.

Embora o objetivo da mamotomia seja o diagnóstico. Em parte dos casos, consegue-se a retirada total da lesão. Porém, isso não é necessário para que se obtenha o diagnóstico.

Se a alteração for identificada como maligna, a precocidade do diagnóstico e a identificação do tipo de tumor pela mamotomia darão ao seu médico a oportunidade de adotar condutas, que podem incluir a cirurgia.

Além de outras formas de tratamento, com dados mais objetivos em mãos.

Nestes casos, mesmo que toda a lesão tenha sido retirada na mamotomia, haverá a necessidade de se retirar uma quantidade maior de tecido, por meio de cirurgia.

biopsia-diagnostico-cancer-dascoisasquetenhoaprendido-4


  • Biópsia Cirúrgica

É um procedimento realizado no centro cirúrgico durante o ato cirúrgico.

Tem a grande vantagem de poder se fazer a biópsia por congelamento durante o procedimento. Isso permite dar ao cirurgião as margens de segurança.

Se a margem ainda tiver doença, o cirurgião avança um pouco mais e o congelamento se repete até que as margens cirúrgicas estejam livres de doença.




3 Comentários


  1. Vou fazer duas unpuçao por agulha grosa e uma por agulha fina pq tenho3 nódulo no seio estou comendo de não pega anestesia e dor estou com certo medo


  2. Obrigada! Fiquei mais tranquila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *