“Entrei no consultório com um nódulo feio e suspeito, e saí com um tumor e mil guias de exame” Carinne Justino

Hoje, ainda por conta do Outubro Rosa, quero apresentar para vocês a minha amiga de destino Carinne Justino, que também teve câncer de mama. Ela vai contar a sua experiência com o  câncer e partilhar das coisas que ela também tem aprendido…

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (22)

Com vocês, Carinne:

Oie, tudo bem com vocês? Eu estou ótima hoje, mas passei por uma grande dificuldade ano passado, que já foi superada!

Em fevereiro de 2014, levava uma vida normal, de uma jovem advogada, com o sonho de passar em um concurso público e mil planos pela frente.

Através do autoexame, aos 28 anos  senti um nódulo na mama. Fiquei observando por uns dias e vi que ele ainda estava lá. Fiquei apreensiva e marquei uma consulta com minha ginecologista.

Minha médica viu que realmente havia um nódulo bem sólido, mas não poderia diagnosticar nada naquele momento. Então, me passou alguns exames, tentando me tranquilizar, mas pedindo que não demorasse para retornar.

Uns dias após, fui fazer os exames e a médica que realizou minha ultrassonografia me deixou bastante preocupada, quando disse que meu nódulo estava “bem feio” e que eu ligasse para minha ginecologista o quanto antes passando o laudo do exame.

Era um final de semana antes do carnaval e me lembro que ela disse “Não espere passar o carnaval, retorne à sua médica ainda  nessa semana !”

Naquele dia, meu mundo começou a escurecer. Contei para minha família e todos ficamos com medo do que poderia ser, mas sem saber muito o que fazer.

Eu e meu namorado tínhamos combinado de curtir o sábado à tarde em um pré-carnaval daqui de Fortaleza e eu estava lá somente de corpo presente, mas tentando não morrer de véspera.

Minha cabeça viajava  no resultado do exame e em tudo que eu pesquisei no google naquela madrugada. Olhei tudo, cada palavra do laudo e entrei em choque.

No outro dia, estava no escritório com minhas colegas de trabalho e liguei para minha médica passando tudo. Acho que nem ela esperava aquela ligação. Pela classificação Bi-Rads, meu nódulo estava no nível 5, e pela graça de Deus, eu não pesquisei isso na internet no dia anterior, foi a única palavra que eu não tinha sequer visto no laudo, senão eu certamente teria enlouquecido !

Depois que soube que BIRADS 5  era a quase-confirmação de câncer de mama. Minha médica ligou para um grande amigo mastologista e naquele mesmo dia eu já fui me consultar com ele à tarde. Larguei tudo, chorei, chorei muito…

Em casa, apreensão total e fomos para a consulta com o mastologista, eu e meu pai, terça-feira, 25 de fevereiro. Foi um choque! Apesar de meu mastologista ser bastante atencioso e profissional, realmente não tem como amenizar uma consulta como essa.

Entrei lá com um “nódulo feio e suspeito”, e saí já com um “tumor” e mil guias do plano de saúde.

“Vamos ver se é o caso de cirurgia ou quimioterapia primeiro, mas você terá que fazer as duas.”  E eu pensava: “Como assim, doutor? Eu tenho tanta coisa para fazer esse ano, tantos planos…”

E a partir daquele dia, minha rotina foi de exame todo dia: mamografia, punção para biópsia, todos os exames pré-operatórios, mais exames para saber se tinha metástase e  muito choro.

Chegou o carnaval e aquela climão aqui em casa. Eu já perdi minha mãe para o câncer, mas o caso foi bem diferente do meu. O dela foi um linfoma em estágio bem avançado.

Uma força sem igual nos uniu (eu, meu pai, minhas irmãs e meu namorado) naquela luta. Eu já sabia que estava com câncer de mama, mas ainda não tinha a confirmação da biópsia para saber as características dele.

Logo após o carnaval, no dia 6 de março saiu o bendito resultado. Estávamos mega apreensivos e o medo estava grande. Eu e meu pai fomos buscar, ele ficou no carro porque não tinha onde estacionar e eu fui sozinha.

Milhares de coisas passaram na minha cabeça naquele momento, até mesmo o fato de eu ter dado a ideia pro papai ficar no carro esperando. Eu queria pegar o exame sozinha, não sei porquê.

Quando eu abri, já li de cara “carcinoma invasivo” e respirei fundo. Eu não chorei, entalou um grito na minha garganta e o choro não desceu. Sou extremamente emotiva e chorona, mas nessa hora, não chorei.

Eu tava sem saber como voltar pro carro, falar pro meu pai, para todo mundo e começar essa luta, que eu sabia que não ia ser fácil. Nem sei como, mas quando caí em mim já estava chorando no carro com papai e ele ligando para os médicos amigos.

Chegamos em casa e aí chorei mais, chorei abraçando minhas irmãs, chorei desesperada. Meu namorado veio aqui pra casa e conversamos a família toda sobre tudo que ia acontecer. Liguei pro meu médico e ele já estava com o resultado também, marcou pra eu voltar no dia seguinte.

Ele decidiu começar pelas sessões de quimioterapia primeiro e já me encaminhou para o oncologista. Tudo mudou. Depois desse dia, senti uma força gigantesca dentro de mim para vencer mais uma provação na minha vida e eu estava estranhamente disposta a passar por tudo aquilo.

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (15)

Depois que digeri a situação e me recuperei, liguei para alguns amigos para contar, outros já estavam acompanhando comigo. Passei algumas noites em claro. Achei diversos blogs de moças que passaram ou estavam passando pelo câncer de mama, e resolvi publicar um pedido de oração nas minhas redes sociais, até mesmo para informar logo para todo mundo o que eu ia passar naquele ano, e pedir ajuda, apoio, compreensão, energia positiva.

Eu não queria estar de lenço no supermercado, por exemplo, e encontrar alguém que ficasse com pena de mim e assustado com a minha aparência. Foi a melhor coisa que fiz! Recebi muuuuuuito apoio, muitas ligações, orações, visitas de pessoas queridas. E foi assim o tratamento todo.

Coloquei meu melhor acessório no rosto (o meu sorriso), e com ele permaneço até hoje. Meu cabelo estava longo (estava deixando crescer ), tinha ficado loira um mês antes  e agora iria ficar careca.

Poxa, que dó! Cortei um chanel divo (e nesse dia, minhas duas irmãs cortaram curtinho também comigo! <3) e fiquei com o corte uns 20 dias só.

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne ( 9)

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (28)

Uns dias após a primeira quimio, o cabelo começou a cair. Fiquei uma semana catando meus cabelos e depois não deu mais. Daí fiquei careca.

Foi um “evento” aqui em casa (não quis fazer isso em salão): minhas irmãs raspando na máquina e ficamos carecas eu, papai e meu namorado. <3 Foi um alívio inexplicável!! Estava com tanto medo desse dia, mas foi um dia leve e feliz!

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (30)

Eu amava minha carequinha, bem branquinha e redondinha. Confesso que me achava linda daquele jeito. Pior foi quando começaram a cair as sobrancelhas, os cílios e a inchar o rosto e o corpo. Aí sim a autoestima também despenca…

 cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (11)

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (12)

Descobri truques de maquiagem, cílios postiços, perucas e lenços mil! Descobri que amo lenços! Comprei e ganhei vários!

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (31)
Eu e minha peruca

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne-3

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne-1

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne-2

Com relação ao tratamento, fiz 8 sessões de quimioterapia (de março até agosto de 2014), uma a cada 21 dias, com um oncologista maravilhoso, um anjo! Com duas sessões, meu nódulo reduziu pela metade. Com quatro, já não aparecia mais no exame de ultrassom!!

Isso me motivou muito a continuar o tratamento, porque a gente via que meu corpo estava respondendo bem. Fiz feliz todas as sessões, sempre acompanhada por pessoas queridas, minha família, amigos, namorado, além dos profissionais do hospital que fizeram tudo ser mais tranquilo.

O Instituto do Câncer bombava quando eu tinha quimio, era um dia de muita conversa e risada! O tratamento quimioterápico não foi fácil, mas pensei que seria beeeeeeeeeeeem pior.

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (16 )

Eu me preparei profundamente para virar um caco nesse período, para não conseguir fazer nada. Mas, graças a Deus, apesar de todos os efeitos colaterais, estive sempre forte (corpo e mente), com muita dedicação, boa alimentação e terapia, claro!!

Foi um período em que tive que desacelerar, esquecer o mundo jurídico, esquecer os editais de concursos que iam saindo, controlar profundamente a ansiedade, brigar menos e ser menos chata com as pequenas coisas da vida (juro que tentei hehe).

Passei a ver muitas coisas e muitas pessoas de outra forma, aprofundei muito no estudo da espiritualidade, aumentando a minha fé, me conhecendo, descobrindo meus verdadeiros sonhos, etc.

De vez em quando, dava uma pirada louca, não vou negar! Quem tava mais próximo teve que aguentar! São muitas coisas acontecendo, tem que ter bastante controle emocional. E nem sempre é fácil.

Depois do fim das quimioterapias, fiz minha cirurgia na mama.  Foi supertranquilo também! Na hora H, dá aquele meeeedo gigantesco, mas só dura até a sedação começar, rsrs. Foi retirado apenas o quadrante, e minha mama foi mantida!

A recuperação foi excelente e a cada dia está melhor. No 8 de outubro (não por acaso quando completou 7 anos que minha mãe morreu), saiu o tão esperado resultado da nova biópsia. Ouvi do oncologista o que mais esperei o ano todo: “VOCÊ ESTÁ CURADA!!

O resultado foi fantástico!”. Então… Estou curadíssima, graças a Deus, e não tenho mais nada, não ficou nenhuma célula cancerígena!! Biópsia limpinha!

Após a recuperação da cirurgia, iniciei as sessões de radioterapia (foram 30 sessões, diariamente). Minha mama ficou bastante queimada, mas os efeitos são realmente só na pele, fora isso eu não sentia nada.

Eu e meu pai na radioterapia
Eu e meu pai na radioterapia

Todo esse tratamento (quimioterapia + cirurgia + radioterapia) terminou no início de dezembro. Foi um alívio sem fim!!

Em outubro também já tinha começado tratamento hormonal para manutenção, que farei inicialmente por 5 anos, com comprimidos diários. De fato, não queria ter que tomar remédio todo dia, mas isso é o de menos agora e eu estou conseguindo controlar (mais ou menos) os efeitos colaterais, que são bem chatinhos.

A fé em Deus e na espiritualidade foram cruciais para a minha cura, bem como a cabeça erguida e um sorriso no rosto! De fato, não foi nada fácil mudar todos os planos, ficar careca, sentir tantos efeitos colaterais e tanto medo no início… Mas tudo foi temporário e o prognóstico de cura foi confirmado.

Meu corpo já voltou todo ao normal em poucos meses, desinchei muito, perdi peso, o cabelo começou a crescer, tudo direitinho. Fui retomando a vida aos poucos, voltando a advogar, a estudar, a fazer minhas atividades físicas, tudo passou!

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (14)

Hoje já faz um ano que estou sem quimioterapia, meu cabelo já tá lindo (estou amando!). Só preciso estar sempre sendo acompanhada pelos meus médicos, a cada 3 meses. Essa é a nova rotina, não adianta reclamar.

Tenho muito a agradecer e estou com uma nova visão de tudo! Agradeço por ter tido a oportunidade de me tratar, de ficar curada e até mesmo de passar por tudo que passei. Aprendi muuuuuito nesse ano de 2014.

cancer-mama-nodulo-maligno-carcinoma-ductal-infiltrante-cancro-quimiterapia-mastectomia-radioterapia-efeito colateral-careca-auto estima-lenco-peruca-carinne (29)
Meu aniversário: 2.9 !

Conheci meninas do Brasil todo, jovens como eu, que também passaram pelo câncer e com quem troco experiências quase diárias, em meio a muitas risadas e leveza.

Minhas amizades e relações mais próximas foram fortalecidas, senti de verdade o quanto sou amada e querida, sei com quem posso contar nas dificuldades e quem merece a dedicação do meu precioso tempo. Vou levar essa minha experiência para toda a vida!

Estou curada, só quero ser felizzz!!! Um beijo pra todas e cabeça erguida.

Carinne Justino – Fortaleza/CE – @carinnejus

15 Comentários


  1. Olá Rosângela,
    Tente usar esse período para avaliar a sua vida e use a doença como oportunidade de crescimento pessoal. A fé é muito importante. Existe uma Inteligência maior (Deus) que está cuidando de nós!
    Um beijão da sua amiga do peito!


  2. Também estou passando por este vale amiga, eu descobri em março desse ano de 2015 um carcinoma no útero e um Linfonodo comprometido na virilha passei por 4 quimioterapia e 4 braquiterapia comecei hj a radioterapia farei 25 sessões ed pra honra e Glória di nosso lindo Deus eu já fiz exames e não tenho mais nada, mais por conta do linfonodo q estava na virilha comprometido eu terei q continuar fazendo o tratamento até o fim, que é uma prevenção como disse meu oncologista, com fé logo acab, bjs no coração de todos…


  3. Que o Senhor continue infinitamente nos ajudando e nos dando forças e graças, que ele nos fortaleça a cada dia, que possamos sempre estender as mãos pra ajudar nosdis próximos com amor e carinho, abraços a todos e muita fé…….


  4. parabéns pela sua fé determinação
    com certeza nesses meses jesus te carregou no colo
    Porque não é nem um pouco fácil o que vc passou
    Mas determinadas situações vem na nossa vida pra gente ter outros valores e sermos também pessoas melhores.
    Deus te abençoe.

Página 1 de 3 Próximo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *