Câncer de pele: o que é, sintomas e tratamentos?

Você sabia que o câncer de pele é o tipo mais comum no mundo e no Brasil? Você consegue reconhecer os sintomas do câncer de pele?

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o câncer de pele é o tipo mais comum no Brasil, representando cerca de 30% de todos os diagnósticos de tumores malignos. Quando pegamos aquele solzinho de verão sem a proteção adequada, aumentamos o risco de desenvolvê-lo.

Com a estação mais quente do ano chegando, as saidinhas para a praia, rios e cachoeiras se tornam mais frequentes em nossa pele fica mais exposta aos raios ultravioletas, que atingem seu pico de intensidade.

Devido a baixa conscientização sobre a doença, é comum que os sintomas do câncer de pele passem despercebidos, contribuindo para a grande quantidade de casos.

É sobre isso que quero falar hoje.

Aqui, busco não apenas informar sobre o câncer de pele e seus aspectos, mas também incentivar ações práticas e proativas para cuidar da saúde, promovendo um diálogo sobre prevenção e tratamento, para que você fique mais tranquila independente de sua atual condição.

Vamos nos conscientizar sobre o câncer de pele? Continue lendo!

O que é câncer de pele?

O câncer de pele surge a partir de um crescimento anormal e descontrolado das células cutâneas. Essa condição é desencadeada, em grande parte, pela exposição excessiva aos raios ultravioleta ou, em alguns casos, à radiação artificial. 

A exposição excessiva pode danificar o DNA dessas células, desencadeando mutações que podem levar ao desenvolvimento de novas células defeituosas.

Essas células, quando não controladas, podem crescer e se multiplicar rapidamente, se apresentando como lesões ou tumores na pele. É importante destacar que esse tipo de câncer pode se apresentar de diferentes formas, desde feridas a pintas e manchas. 

Por isso, é tão importante examinar sua pele sempre que encontrar algo estranho!

imagem ilustrativa câncer de pele o que é
Fique de olho nas suas pintinhas! | Foto: Freepik.

Quais são os primeiros sintomas?

Os primeiros sinais de câncer de pele podem variar dependendo do tipo. É importante ressaltar que qualquer alteração que persista por mais de algumas semanas deve ser avaliada por um dermatologista, pois o diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento eficaz da doença. 

Os sintomas do câncer de pele e seus tipos são:

Carcinoma Basocelular

O mais comum e menos agressivo. Geralmente se manifesta como lesões que se parecem com feridas que não cicatrizam, áreas elevadas com vasos sanguíneos visíveis ou lesões brilhantes e translúcidas. 

Esse tipo raramente se espalha para outras partes do corpo, mas pode causar danos significativos se não for tratado.

Carcinoma Espinocelular

Menos comum que o basocelular, o carcinoma espinocelular é mais propenso a metástase. Ele aparece como lesões escamosas, principalmente com crostas, feridas que sangram facilmente ou áreas com textura áspera. 

Melanoma

Apesar de ser menos comum que os carcinomas, o melanoma é o câncer de pele mais intenso e potencialmente letal. Ele pode surgir a partir de pintas existentes ou como novas manchas na pele. 

Mudanças na cor, tamanho, formato ou bordas irregulares são fortes indicativos. Conhecer essas diferenças é crucial para a identificação precoce de possíveis sinais e sintomas. Procurar um especialista diante de qualquer mudança é uma atitude que garante um diagnóstico precoce e um tratamento eficaz.

Lembrando que a conscientização sobre o câncer de pele é dever de todo mundo, independentemente da tonalidade da pele. Digo isso, porque existe um mito difundido de que pessoas de pele retinta estão imunes ao câncer de pele, o que não é verdade. 

Embora seja menos comum em indivíduos com mais pigmentação, quando acontece, tende a ser diagnosticado em estágios mais avançados e, frequentemente, na forma mais agressiva, como o melanoma. 

Essa ideia equivocada pode resultar em diagnósticos tardios, tornando o tratamento mais desafiador. 

diferentes tipos de pele e o câncer
Todo tipo de pele necessita de cuidados! | Foto: Freepik.

Como funciona o tratamento dessa condição?

O tratamento do câncer de pele varia conforme o tipo e o período da doença. Em estágios iniciais, a remoção cirúrgica da lesão pode ser suficiente para a cura. 

Para lesões mais extensas ou avançadas, podem ser necessários outros procedimentos, como terapia fotodinâmica, cirurgia, radioterapia, quimioterapia tópica ou sistêmica, dependendo da gravidade e da localização do câncer.

Para tratar carcinomas basocelulares e espinocelulares, muitas vezes é realizada curetagem e eletrodissecção, ou excisão cirúrgica.

Em casos de melanoma ou lesões mais agressivas, a cirurgia pode ser complementada por terapias-alvo ou imunoterapia, que visam atacar especificamente as células malignas, oferecendo assim uma abordagem mais direcionada. 

A escolha do tratamento vai depender dos sintomas do câncer de pele, sua localização, tamanho, estágio e saúde geral do paciente. Em alguns casos, uma combinação de tratamentos pode ser recomendada para melhor eficácia. 

O acompanhamento regular com seu médico é fundamental para avaliar a resposta ao tratamento do câncer de pele e realizar ajustes, se necessário.

imagem ilustrativa conscientização do câncer de pele
Cuide da sua pele com carinho. Evite o câncer de pele. | Foto: Freepik.

Como pode ser realizada a prevenção da doença?

A prevenção do câncer de pele passa por cuidados simples no dia a dia como o uso de proteção solar com fator mínimo de 30 (mas quanto maior o fator, melhor!) e evitar exposição entre às 10 e 16 horas, buscando sombra quando o sol está mais intenso.

Ah, e não deixe de repassá-lo a cada 2 horas ou sempre que tomar banho de piscina, no mar, no rio ou em qualquer lugar!

O cuidado com a proteção deve ser ainda mais intenso para quem mora em lugares muito quentes e tem sudorese intensa. Nada de se bronzear! Seja o famoso “banho de sol” ou bronzeamento artificial. O hábito de se expor a luz intensa por muito tempo é igualmente prejudicial.

Para dar aquela guinada na vitamina D, prefira pegar sol por alguns minutinhos no sol do início da manhã, que é mais leve. Sempre utilize chapéus e peças que protejam a pele. Roupas e óculos com proteção UV são ótimas alternativas.

Além disso, é sempre bom usar hidratante, beber bastante água e fazer aquele check-up uma vez por ano no dermatologista!

Neste verão, eu te convido a compartilhar esse post com seus amigos e espalhar informações que salvam vidas!

Agora que você sabe reconhecer os sintomas de câncer de pele e mais ainda, como preveni-lo e manter a saúde em dia, conheça o blog para mais informações sobre qualidade de vida em todos os momentos. Clique aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *