Veja quais são os efeitos colaterais da quimioterapia

Há um tempo, eu estava no mesmo lugar que você está agora. O diagnóstico foi um turbilhão de emoções, seguido pela jornada desafiadora do tratamento. A quimioterapia, apesar de ser uma das maiores ferramentas da medicina tradicional contra o câncer, traz consigo uma série de efeitos colaterais

Conhecer esses efeitos e aprender a lidar com eles pode fazer toda a diferença. Sou uma mulher que atravessou uma jornada difícil e estou aqui para oferecer orientações, conselhos e compartilhar informações valiosas que podem ajudar outras mulheres que passam pelo mesmo.

Anna Wintour Hug GIF by BDHCollective - Find & Share on GIPHY

Hora de ativar o mood autocuidado!

Quando é necessário o tratamento com quimioterapia?

O tratamento com quimioterapia é frequentemente indicado quando o câncer se espalha pelo corpo ou quando existe o risco de se espalhar. É uma medida um tanto agressiva, mas muitas vezes necessária para deter o avanço das células cancerígenas.

No entanto, é crucial entender que cada caso é único, e nem sempre a quimioterapia é a única opção ou a mais indicada. Conversei muito com minha equipe médica para entender os benefícios e os possíveis impactos do tratamento, buscando sempre a melhor abordagem para o meu caso específico.

Compartilhar minhas preocupações e dúvidas com eles foi fundamental para tomar decisões informadas sobre o meu tratamento.

Para que serve a quimioterapia?

A quimioterapia tem como objetivo principal destruir as células malignas, impedindo sua reprodução e crescimento. É um tratamento fundamental que pode ser utilizado de diferentes formas, seja para curar o câncer, controlar seu crescimento ou aliviar os sintomas.

Essa abordagem usa medicamentos que atacam as células que se dividem rapidamente, uma característica comum das células cancerígenas. A quimioterapia varia conforme o tipo de câncer, podendo ser administrada antes ou após cirurgias para reduzir o tamanho do tumor ou eliminar as células remanescentes. 

Estudos científicos destacam a importância da quimioterapia em casos de câncer metastático, onde as células malignas se espalham para outras partes do corpo.

Quais são os efeitos colaterais da quimioterapia?

Durante o meu processo, entendi que, para além de afetar essas células defeituosas, a quimioterapia impacta o corpo como um todo, às vezes gerando efeitos colaterais significativos. 

O que me confortava era saber que esses efeitos eram apenas sintomas da ação do remédio. Ao contrário das células cancerígenas, às células boas se regeneram.

Essa compreensão foi essencial para eu lidar melhor com as mudanças que meu corpo estava passando. A certeza de que, como tudo na vida, eram passageiras.

Também descobri a importância de estabelecer expectativas realistas sobre o tratamento e seus resultados, o que ajudou a manter meu foco e minha determinação durante o processo, evitando uma mentalidade trágica e negativa, apesar das preocupações.

É importante lembrar que os efeitos colaterais da quimioterapia variam de pessoa para pessoa, mas muitos de nós enfrentamos desafios semelhantes. 

Desde a temida queda de cabelo até a fadiga extrema, náuseas, vômito, perda de apetite, boca seca, anemia e mudanças na pele e no peso, esses efeitos podem ser difíceis, mas são uma parte comum do processo, então mantenha-se firme no tratamento!

Como amenizar os efeitos colaterais?

Esses efeitos podem ser gerenciados e mitigados em certa medida. Quando comecei a escutar atentamente meu corpo e a me comunicar abertamente com meus médicos sobre qualquer desconforto ou preocupação, evito estresses maiores.

Aqui no blog e em grupos de apoio, encontrei conforto em compartilhar minhas experiências com outras pessoas que estavam passando pelo mesmo, criando uma rede de apoio mútuo que foi fundamental para enfrentar os desafios.

gif ilustrativo apoio no tratamento do câncer
Se sentir acolhido neste momento faz toda a diferença!

Estudos já abordaram a importância de práticas integrativas ao tratamento do câncer para amenizar efeitos colaterais, como fisioterapia e exercícios físicos (com orientação profissional), tratamento psicológico e a prática de hobbies como a escrita e a leitura.

Claro que a criação desses hábitos não cortam os sintomas, mas reduzem a intensidade dos efeitos colaterais quando auxiliam na promoção de bem-estar e no fortalecimento do sistema imunológico, juntamente aos remédios tradicionais. A palavra chave é buscar por qualidade de vida mesmo durante o câncer.

Além disso, manter-se hidratada e se alimentar bem pode fazer uma grande diferença na promoção de saúde antes, durante o tratamento e após a cura, aliviando desconfortos e comorbidades.

Alimentos como legumes e vegetais, frutas, peixes, cereais, sementes, proteínas e carboidratos com gorduras boas são importantes para manter uma alimentação saudável e amenizar efeitos colaterais.

A questão é que existe muita desinformação sobre o que é uma alimentação de fato saudável, ou melhor, uma alimentação anticâncer. Eu falo mais sobre minha abordagem alimentar anticâncer baseada em alimentos alcalinos, na minha série de livros. 

Você pode dar uma olhadinha clicando aqui.

A seguir, trago sugestões de estratégias específicas baseadas na forma de ingestão dessa alimentação, para aliviar sintomas.

Estratégias para efeitos colaterais comuns durante a quimioterapia

Veja:

Vômito

Em caso de náuseas, recomendo que você coma alimentos em temperatura ambiente ou mesmo frios, em pequenas quantidades, pois alimentos quentes podem estimular reflexos de vômito.

Esses alimentos não devem estar muito temperados nem ter um cheiro muito forte ou serem difíceis de digerir. Parece complicado não é? Mas você não vai sair colocando pimenta e tempero ou comendo gordura quando está enjoada, certo?

Opte por comer antes da quimioterapia ou uma hora após a quimioterapia. Esse espaço de tempo reduz a probabilidade e intensidade dos enjôos.

Anemia 

Devemos usar a comida com intenção. Quando estamos com anemia, o corpo obviamente pede por ácido fólico e ferro. Consuma bastante feijão e vegetais verde escuros, além de carne e fígado sem muita gordura para evitar náuseas. Laranja, mexerica, abacaxi e outras frutas cítricas irão ajudar na absorção desses nutrientes.

Boca Seca

Boca seca é um dos efeitos colaterais comuns durante a quimioterapia. Por isso, a hidratação constante é fundamental. Tente beber água de pouquinho a pouquinho, ao longo do dia, mesmo que seja em cubinhos de gelo. Experimente fazer cubos com suco!

Outra estratégia é optar por alimentos ricos em água e que se dissolvem na boca como gelatinas e frutas tipo melancia e melão. Em relação ao consumo de frutas, há de se ter cuidado com a frutose. Excesso de açúcar não ajuda quando estamos com a boca ressecada. Nada de refrigerantes!

Queda de Cabelo 

Como sempre comento, cada organismo tem suas peculiaridades. Por exemplo, em um caso recente, da cantora Preta Gil, ela aborda que durante seu tratamento de câncer no intestino, seu cabelo ficou ralo. Por isso ela não sentiu necessidade de raspá-lo como em casos de alopecia extrema. 

Em alguns casos, alimentos ricos em minerais e proteínas como frutos do mar, vinagre de maçã, soja, arroz e novamente o feijão, podem ajudar no fortalecimento dos fios durante o tratamento.

Prisão de ventre ou diarréia 

Lembra quando eu falei sobre usar os alimentos com intenção? É sempre bom estudar sobre alimentação, principalmente quando estamos doentes. Isso conta quando estamos com câncer e estamos sob tratamento com quimioterapia.

paciente com câncer lendo sobre quimioterapia
Precisamos estar sempre em busca de novos conhecimentos! | Foto: Freepik.

No caso da prisão de ventre, alimentos ricos em fibra como cereais, linhaça, chia, aveia e frutas como mamão são uma ótima alternativa. Não esqueça de continuar bebendo bastante água, para ajudar no fluxo intestinal.

No caso da diarréia, é preciso fazer o caminho inverso: redução de fibras.

É isso! Espero que essas pequenas informações te ajudem a mitigar os efeitos colaterais da quimioterapia. Recomendo que você leia meus conteúdos sobre alimentação anticâncer e qualidade de vida durante o tratamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *