Quimioterapia: como lidar com os efeitos colaterais

É normal dar aquele frio na barriga quando o médico fala “quimioterapia”. Afinal, passar pela quimioterapia parece trágico e doloroso. Como alguém que passou por isso, posso dizer que essa é sim uma fase desafiadora, cheia de altos e baixos, mas é importante e possível encontrar maneiras de lidar com os efeitos colaterais e tornar o processo mais tolerável. Acabamos descobrindo forças que nem sabíamos que tínhamos.

Neste artigo, compartilho algumas dicas e insights que talvez possam ajudar você ou outras pessoas que estão passando pelo mesmo desafio. Por isso, se achar que esse texto possa ser relevante para alguém, compartilhe!

Acredito que, com o apoio certo e a determinação necessária, é possível enfrentar essa fase com mais conforto e esperança.

mulher em tratamento de quimioterapia com touca rosa
É possível passar pela quimioterapia de forma mais tranquila. | Foto: Freepik.

Quando a quimioterapia é necessária?

Bom, como sabemos, a quimioterapia é frequentemente recomendada como parte do tratamento do câncer em várias situações. Ela pode ser utilizada como tratamento principal, com o objetivo de destruir as células cancerígenas, reduzir o tamanho do tumor antes da cirurgia, ou mesmo após a cirurgia para eliminar células cancerosas remanescentes e reduzir o risco de recorrência.

Além disso, a quimioterapia também pode ser indicada para controlar o crescimento do câncer em casos avançados, onde a cura não é possível, mas é possível controlar a doença e melhorar a qualidade de vida do paciente.

A quimioterapia pode ser administrada por meio de medicação aplicada e diluída na corrente sanguínea, de forma oral em forma de comprimidos ou cápsulas e ainda aplicada na pele em forma de pomada ou creme.

Cada aplicação é indicada para um caso diferente podendo ser combinada a depender igualmente da situação.

Ressalto aqui que a decisão de iniciar a quimioterapia é baseada em uma avaliação médica criteriosa, considerando o tipo e estágio do câncer, a saúde geral do paciente e seus objetivos de tratamento. 

Para entender melhor a necessidade e os benefícios da quimioterapia no seu caso específico mantenha a conversa com seu médico em dia e esteja sempre com seus últimos exames médicos em mãos.

Quais são os efeitos colaterais da quimioterapia?

A quimioterapia é conhecida por seus efeitos colaterais, que podem variar de pessoa para pessoa e dependem do tipo de medicamento utilizado, da dose e da duração do tratamento. Por isso, aqui eu te mostro os efeitos colaterais da quimioterapia mais comuns e o que você pode fazer para minimizá-los. 

Dá uma olhada!

Náuseas e vômitos: Muitos pacientes experimentam náuseas e vômitos durante ou após a quimioterapia

O que fazer? Existem medicamentos disponíveis para ajudar a controlar esses sintomas, é verdade, mas o cuidado alimentar é essencial. Comida gordurosa, pesada ou até mesmo quente com aquele cheiro de que acabou de sair do forno podem ser possíveis gatilhos para enjôo. Por isso, opte por comidas leves e frias e coma em momentos espaçados, no mínimo 30 minutos antes ou depois de cada sessão.

Fadiga: A quimioterapia pode causar fadiga moderada ou intensa, que pode durar dias ou semanas após o tratamento

O que fazer? É importante descansar e não se sobrecarregar durante esse período, optando apenas por exercícios leves. Sim, é possível fazer pequenos alongamentos e exercícios durante o tratamento se houver acompanhamento médico. 

Isso é importante para que você não fique deprimida. Mas não force a barra, hein?! Respeite seu corpo.

Perda de cabelo: A queda de cabelo é um efeito colateral comum da quimioterapia, mas nem todos os medicamentos causam esse efeito

O que fazer? A perda de cabelo costuma afligir intimamente nós mulheres durante o câncer. Existem perucas e lenços lindos que podem ajudar a passar por esse momento, mas tente aprender a se olhar com outros olhos, ver beleza apesar da falta dos cabelos.

mulher com lenço na cabeça sorrindo durante quimioterapia
Olha eu aqui mantendo o sorriso e a autoestima lá em cima durante o tratamento! | Foto: Das coisas que tenho aprendido.

Mudanças na pele e unhas: Alguns pacientes podem experimentar alterações na pele, bem como mudanças nas unhas

O que fazer? Mais um probleminha (problemão) que afeta diretamente nossa autoestima. Uma forma de contornar a situação é com MUITA hidratação. Por dentro e por fora. Além de beber água com frequência, utilizar hidratantes recomendados por um dermatologista. 

 

Aliás, consultas com esse profissional durante o tratamento oncológico é essencial e um minimizador de danos com a pele, digamos assim.

 

Algo que me ajudou durante meu tratamento para câncer de mama foi a maquiagem, sim! A maquiagem foi um método que desenvolvi durante o meu tratamento para ajudar me sentir mais radiante, acabei incentivando várias mulheres que acabaram se sentindo melhor também. Uma forma de relembrar nossa beleza.

 

Ah, lembrando que a maquiagem deve ser hipoalergênica, indicada por um médico e não deve ser aplicada em áreas lesionadas.

 

Alterações no sistema imunológico: A quimioterapia pode reduzir temporariamente o número de células sanguíneas saudáveis, o que pode aumentar o risco de infecções

O que fazer? É importante seguir as orientações médicas para prevenir infecções durante o tratamento. Cada caso é único, mas vale o conselho de esperar um pouquinho pra sair de casa a cada sessão.

 

Estes são apenas alguns dos efeitos colaterais mais comuns da quimioterapia, mas cada pessoa pode reagir de forma diferente ao tratamento. 

 

É importante comunicar qualquer sintoma ou desconforto à equipe médica para que eles possam ajudar a gerenciar esses efeitos colaterais e garantir que o tratamento seja o mais confortável possível.

 

O que evitar durante o tratamento quimioterápico?

Além dos conselhos que eu falei, durante o tratamento quimioterápico, é importante adotar algumas precauções para garantir que o tratamento seja eficaz e seguro. Aqui estão algumas coisas que você deve passar longe:

 

  • Alimentos que possam irritar o estômago: Alimentos picantes, ácidos ou muito doces podem irritar o estômago durante a quimioterapia. É melhor optar por alimentos leves e de fácil digestão, como frutas, vegetais e grãos integrais.

 

  • Exposição a germes: Como a quimioterapia pode reduzir temporariamente o sistema imunológico, é importante evitar o contato próximo com pessoas doentes ou com infecções. Lave as mãos com frequência e evite multidões sempre que possível.

 

  • Fumar e consumo de álcool: Fumar e consumir álcool durante a quimioterapia podem interferir no tratamento e aumentar o risco de complicações. É melhor evitar esses hábitos durante o tratamento (e pós tratamento também!)

 

  • Exposição ao sol: Alguns medicamentos quimioterápicos podem aumentar a sensibilidade da pele ao sol, tornando-a mais suscetível a queimaduras solares. É importante proteger a pele com roupas adequadas e protetor solar sempre que sair ao sol.

 

  • Atividades que possam causar lesões: Durante a quimioterapia, os ossos e músculos podem ficar mais fracos, aumentando o risco de lesões. Como disse anteriormente, as atividades devem ser leves. Atividades físicas intensas que possam causar lesões e consulte seu médico antes de iniciar qualquer programa de exercícios.
paciente de quimioterapia acompanhada pela mãe
Você não está só! | Foto: Freepik.

Seguir essas orientações pode ajudar a garantir que o tratamento seja o mais eficaz possível e com menos desconforto também, tornando os efeitos colaterais da quimioterapia menos intensos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *