12 sintomas do câncer de mama — Será que você conhece todos?

O Câncer é uma doença traiçoeira e silenciosa e, no meu caso, demorou mais de um ano até que eu fosse diagnosticada com Câncer de Mama, o que infelizmente é uma realidade muito comum no Brasil. Isso explica porque no Brasil o Câncer de Mama, que quando diagnosticado precocemente tem 90% de chances de cura,é o que mais mata mulheres!

A primeira vez que senti o tumor no meu seio, estava tomando banho. Era um caroço palpável na minha mama direita, que não doía. A princípio, pensei que se tratava de uma displasia por conta da menstruação, mas como o caroço não sumiu, procurei uma mastologista. Esse foi o único sintoma que tive, mas existem vários outros sinais. Fique de olho!

Os sintomas iniciais de câncer de mama estão relacionados com alterações na forma ou na sensibilidade das mamas, tanto na mulher, como no homem. E sim, homem também pode ter câncer de mama! Saiba mais lendo esse Post: Você sabia que homem também tem Câncer de Mama?

O fato é que, quando os tumores são descobertos precocemente, podem aumentar as chances de cura. Portanto devemos estar atentos às mudanças em nosso corpo.

sintomas cancer de mama
Você conhece os sintomas de câncer de mama? | Foto: Freepik.

Esses são os sintomas do câncer de mama mais frequentes: 

Há alguns sinais que não podem ser ignorados quando se trata do câncer de mama. Essa condição é séria, mas não vamos deixar que ela nos intimide! Conhecimento é poder, e aqui estão os sintomas mais frequentes que você precisa conhecer para estar um passo à frente

  1. Presença de nódulo ou caroço que não dói;
  2. Alteração na coloração ou forma do mamilo;
  3. Liberação de líquido pelo mamilo;
  4. Alterações na pele da mama, como vermelhidão ou pele mais dura;
  5. Inchaço ou alteração no tamanho de uma das mamas;
  6. Coceira frequente na mama ou no mamilo;
  7. Alteração na coloração ou forma da aréola;
  8. Formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo;
  9. Veias facilmente observáveis e que aumentam de tamanho;
  10. Presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento;
  11. Caroços ou inchaço na região das ínguas da axila;
  12. Inversão no mamilo.

Vale lembrar que, na grande maioria dos casos, vermelhidão, inchaço e até linfonodos aumentados na axila podem ser causados ​​por um processo inflamatório ou uma infecção como a mastite, principalmente se for acompanhada de dor.

Mas como uma forma rara de câncer de mama apresenta inflamação, esses achados devem ser relatados a um médico imediatamente, e as mulheres devem ser submetidas a um exame clínico. 

Já falei, inclusive sobre o câncer de mama inflamatório e de todos os outros subtipos aqui no meu blog.

Embora o diagnóstico precoce seja importante para aumentar e melhorar as chances de cura, muitos casos ainda são diagnosticados em estágio avançado, incluindo metástases, que é quando o tumor primário invade outros órgãos.

Nesses casos, além dos sintomas descritos acima, os sinais e sintomas podem variar dependendo da área afetada pela progressão do câncer. As metástases do câncer de mama geralmente afetam os ossos, fígado, pulmões ou cérebro.

Mas deixa eu abrir um parênteses para você: Eu fui diagnosticada com um câncer de mama localmente avançado em 2014. Tinha 7cm de tumoração e estou aqui saudável, ok?!

Então, independente do que a medicina convencional afirma, saiba que você é um ser único, com sua própria história e não é apenas uma estatística!

Nunca se esqueça: cada caso é um caso!

sintomas de câncer de mama
Saiba quais são os sintomas do câncer de mama. | Foto: Freepik.

Como é feita a prevenção?

Existem algumas formas de prevenção do câncer de mama. Aqui vão algumas orientações:

1. Pratique atividade física 

Colocar seu corpo em movimento equilibra os níveis hormonais, aumenta as defesas do organismo e ajuda a manter um peso adequado, fatores que impactam diretamente na prevenção do câncer de mama.

2. Coma de forma saudável e mantenha um peso adequado

Estar acima do peso cria alterações hormonais que podem levar a mutações celulares ou crescimento celular alterado. Além disso, obesidade é sinal de corpo inflamado e o câncer precisa de inflamação para progredir. Portanto, manter um peso adequado é essencial para evitar que isso aconteça.

3. Evite bebidas alcoólicas

O álcool pode ajudar no aparecimento do câncer através de diferentes mecanismos (danos ao DNA, tornando os tecidos do corpo mais sensíveis a danos, etc.). Evitar todos os tipos de bebidas alcoólicas pode ajudar a prevenir não apenas o câncer de mama, mas também inúmeros outros tipos de câncer.

4. Não fume, evite o fumo passivo

Cigarros e outros geradores de fumaça (ganchos, charutos, cigarrilhas, etc.) contêm pelo menos 69 substâncias químicas cancerígenas. Evitar fumar ou entrar em contato com fumantes é uma medida importante para ajudar na prevenção.

5. Aleitamento materno

Durante a amamentação, a taxa de alguns hormônios que favorecem o desenvolvimento desse tipo de câncer diminui nas mulheres. Além disso, a amamentação renova as células que podem estar doentes, reduzindo a chance de doenças. Quanto mais tempo você amamentar, maior será a proteção para a mãe.

Dicas adicionais para a “prevenção” do câncer de mama: faça uma mamografia

Mamografia não previne. Mas…

Além da prevenção, a detecção precoce também deve ser discutida. Mulheres com mais de 40 anos devem fazer a mamografia anual, que é o exame mais eficaz para o diagnóstico precoce. 

Lembre-se: quanto antes se descobre o diagnóstico, maiores as chances de cura. Em pacientes de alto risco, o teste de triagem começa antes dos 40 anos (essa orientação deve vir da equipe médica).

Sintomas do Câncer de Mama  Avançado 

O câncer de mama avançado é uma realidade que precisamos encarar com coragem e determinação. Conhecer os sintomas é fundamental para uma detecção precoce e um melhor enfrentamento. Então, aqui estão os sinais do câncer de mama avançado aos quais devemos estar atentos:

  1. Dor óssea persistente: Se você está sentindo dores ósseas persistentes, especialmente nas costelas, coluna ou quadris, é importante investigar a possibilidade de disseminação do câncer de mama.
  2. Falta de ar ou tosse persistente: Se você sente dificuldade para respirar ou apresenta uma tosse persistente sem motivo aparente, é essencial buscar avaliação médica para descartar a possibilidade de metástases pulmonares.
  3. Perda de peso inexplicada: Ao perceber perda de peso sem fazer alterações na sua rotina alimentar ou de exercícios, pode ser um sinal de que o câncer de mama avançou para outras partes do corpo.
  4. Fadiga extrema: A presença de cansaço ou falta de energia constante, mesmo após descanso adequado, pode ser um sintoma, e torna importante investigar se o câncer de mama avançou para outros órgãos.
  5. Inchaço nos membros: Um inchaço persistente em um braço ou perna, acompanhado de dor, pode indicar que o câncer de mama atingiu os linfonodos e está obstruindo o fluxo linfático.
  6. Alterações neurológicas: Caso experimente dores de cabeça persistentes, visão turva, tonturas, fraqueza ou alterações na fala, é crucial buscar avaliação médica para descartar a possibilidade de metástases cerebrais.
  7. Icterícia: A icterícia, caracterizada pela coloração amarelada da pele e dos olhos, pode ocorrer se o câncer de mama se espalhar para o fígado.
  8. Ascite: O acúmulo de líquido no abdômen, conhecido como ascite, pode ser um sinal de que o câncer de mama avançou para o peritônio.

Lembre-se de que esses sintomas podem variar de pessoa para pessoa, e sua presença não significa necessariamente que o câncer de mama avançado está presente. Por isso, mantenha a calma! Se você está sentindo um dos sintomas não precisa sair surtando por aí…

Mas se você estiver enfrentando esses sintomas, é fundamental procurar atendimento médico imediatamente, pois a prevenção e o tratamento precoce são cruciais para melhorar os resultados e lidar com o câncer de mama com resiliência e determinação. E caso você tenha interesse em descobrir mais sobre os tipos de câncer de mama, saiba que eu também já postei sobre o assunto aqui no blog.

 

Quais são os fatores de risco?

Parte da causa do câncer de mama são fatores de risco, como:

  • Alcoolismo: O consumo de álcool está claramente associado a um risco aumentado de câncer de mama;

 

  • Obesidade: Estar acima do peso ou obeso, especialmente após a menopausa aumenta o risco de câncer de mama. Mas a ligação entre peso e risco de doença é complexa. Por exemplo, as mulheres que ganham peso na idade adulta parecem estar em maior risco do que aquelas que estão acima do peso desde a infância;

 

  • Atividades físicas: Há evidências crescentes de que a atividade física regular pode reduzir o risco de câncer de mama. A questão principal é quanto exercício e intensidade são necessários;

 

  • Ter filhos: Mulheres que têm seu primeiro filho após os 30 anos têm um risco aumentado de câncer de mama. Gestações múltiplas e gestações mais jovens podem reduzir o risco de câncer de mama;

 

  • Amamentação: Algumas pesquisas sugerem que a amamentação pode reduzir o risco de câncer de mama, especialmente se durar de 1 a 2 anos.

 

  • Controle de natalidade com pílulas anticoncepcionais: O uso de pílulas anticoncepcionais aumenta o risco de câncer de mama em comparação com mulheres que nunca usaram pílulas anticoncepcionais. Esse risco volta ao normal quando as pílulas anticoncepcionais são interrompidas. As mulheres que pararam de usar contraceptivos há mais de 10 anos não parecem estar em risco aumentado;

 

  • Anticoncepcional injetável: Depo-Provera é uma forma injetável de progesterona que é administrada trimestralmente para controle de natalidade. Alguns estudos mostraram que as mulheres que usam a pílula parecem ter um risco aumentado de câncer de mama, mas outros estudos não encontraram um risco aumentado;

 

  • Uso do DIU para contracepção: Esta forma de controle de natalidade também usa hormônios que aumentam o risco de câncer de mama. Alguns estudos mostraram uma ligação entre o uso de DIU liberador de hormônios e o risco de câncer de mama;

 

  • Reposição hormonal pós-menopausa: A terapia com estrogênio, frequentemente usada em combinação com a progesterona, tem sido usada há anos para aliviar os sintomas da menopausa e prevenir a osteoporose. Existem dois tipos principais de terapia hormonal. Para as mulheres que ainda têm útero, geralmente são prescritos estrogênio e progesterona (terapia hormonal combinada). A progesterona é necessária porque o estrogênio sozinho aumenta o risco de câncer do colo do útero. Para mulheres que fizeram uma histerectomia, o estrogênio sozinho pode ser usado. Isso é chamado de terapia de reposição de estrogênio ou apenas terapia de estrogênio;

 

  • Terapia hormonal combinada. O uso pós-menopausa de terapia hormonal combinada aumenta o risco de câncer de mama. Este risco aumentado só pode ser visto após 4 anos de uso. Também aumenta a probabilidade de o câncer ser diagnosticado em estágio avançado.

No caso dos homens, alguns sintomas são:

  • Protuberância ou inchaço, que nem sempre é indolor.
  • Pele em volta do mamilo que apresenta ondulações ou está enrugada.
  • Retração do mamilo.
  • Vermelhidão ou descamação da pele da mama ou do mamilo.

Como vimos, nos estágios avançados, incluindo metástases, quando o tumor primário invade outros órgãos,  os sintomas podem variar, dependendo da área afetada pela progressão do câncer. 

Chegamos ao fim de mais um artigo! Espero que essa viagem informativa tenha sido tão reveladora para você quanto foi para mim. Agora você já tem um conhecimento valioso para identificar os sinais de alerta e tomar medidas proativas em relação ao câncer de mama para proteger a sua saúde mamária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *