Queda de cabelo durante a quimioterapia: O que esperar e como lidar

Acho que para a maioria das pessoas, a queda de cabelo é um dos aspectos mais visíveis e impactantes da quimioterapia

Eu mesma vivi essa experiência e sei que inicialmente pode ser avassalador ver nossos fios se desprendendo, um lembrete de que estamos passando por um câncer. É como se parte de nossa identidade estivesse esvaindo, deixando-nos vulneráveis e questionando nossa própria imagem no espelho. 

No entanto, por trás desse desafio estético, existe uma oportunidade de crescimento e aceitação que pode transformar nossa perspectiva sobre beleza e autoestima. Afinal, você continua sendo você.

A queda de cabelo é um efeito colateral comum da quimioterapia. Mesmo sabendo que é temporário e que o cabelo geralmente volta a crescer após o tratamento, não podemos ignorar o impacto emocional que essa perda pode ter em nossa autoestima e bem-estar. 

Mas é importante lembrar que a beleza vai além dos cabelos e que, mesmo nesse momento desafiador, podemos encontrar formas de nos sentirmos confiantes.

antonio tabet passando a mão na cabeça
Calma, vai voltar! | Gif: Giphy.com

Neste artigo, vamos explorar mais sobre a queda de cabelo durante a quimioterapia, o que esperar durante esse processo e como lidar com essa mudança. Se você está passando por essa experiência ou conhece alguém que está, continue lendo para encontrar informações e dicas que podem ajudar a enfrentar esse desafio com mais tranquilidade e confiança.

O que é e como funciona a quimioterapia?

A quimioterapia consiste na administração de medicamentos poderosos, conhecidos como quimioterápicos, que têm capacidade de destruir células cancerígenas. No entanto, esses medicamentos também afetam as células saudáveis ​​do corpo, o que pode resultar em uma série de efeitos colaterais, incluindo a queda de cabelo.

Esses remédios são administrados de várias formas, como comprimidos, injeções intravenosas ou infusões. Eles entram na corrente sanguínea e se espalham pelo corpo, atacando as células que se dividem rapidamente, incluindo as células cancerígenas. No entanto, como as células do cabelo também se dividem rapidamente, elas também são afetadas pelo tratamento, levando à queda.

É importante saber que a quimioterapia é um tratamento sistêmico, o que significa que afeta todo o corpo e não apenas a área específica onde o câncer está localizado. Isso pode resultar em uma variedade de efeitos colaterais além da queda de cabelo, como náuseas, fadiga e diminuição da contagem de células sanguíneas. 

O objetivo desse tratamento é eliminar as células cancerígenas e impedir sua propagação para outras partes do corpo, ajudando assim a controlar o crescimento do câncer e melhorar a sobrevida do paciente. 

Lembrando que as células saudáveis se regeneram, então você não precisa se preocupar com isso.

Entendendo como a quimioterapia funciona, podemos estar melhor preparados para lidar com seus efeitos colaterais. É importante conversar com a equipe médica sobre quaisquer preocupações ou perguntas que você possa ter e procurar apoio emocional e social durante o tratamento.

Entendendo a queda de cabelo durante a quimioterapia

A queda de cabelo durante a quimioterapia ocorre devido ao modo como os medicamentos antineoplásicos afetam as células de crescimento rápido no corpo, incluindo as células que formam os folículos pilosos. 

Para entender melhor, é importante conhecer o ciclo de crescimento do cabelo. O cabelo passa por três fases: anágena (fase de crescimento), catágena (fase de transição) e telógena (fase de repouso). 

Na fase anágena, o cabelo cresce ativamente; na fase catágena, o crescimento do cabelo é interrompido; e na fase telógena, o cabelo cai e um novo fio começa a crescer no mesmo folículo.

Normalmente, uma pessoa tem entre 100.000 e 150.000 fios de cabelo na cabeça, e é normal perder cerca de 50 a 200 fios por dia devido ao ciclo natural de crescimento e queda do cabelo. No entanto, durante a quimioterapia, pode-se perder uma quantidade significativamente maior de cabelo de uma só vez devido à interrupção do ciclo de crescimento.

A quantidade de cabelo perdida durante a quimioterapia pode variar de pessoa para pessoa, pode cair totalmente, em tufos, ou ficar mais ralo. Geralmente esse processo torna-se mais perceptível após a 16ª semana do início do tratamento.

imagem ilustrativa queda de cabelos
É normal que caia muito cabelo de uma vez mesmo, não se assuste! | Foto: Acervo pessoal.

No meu caso, a queda foi total, em algumas semanas eu estava completamente careca e permaneci assim por cerca de 1 ano. Pode ter sido difícil no primeiro momento, mas com o tempo tornou-se parte de um momento de libertação. Aprendi a me aceitar de uma forma que nunca havia experimentado antes. 

Após o término do tratamento, os cabelos levam algum tempo até que atinjam o comprimento e a textura anterior. Durante esse período, é essencial cuidar do couro cabeludo e dos fios remanescentes com delicadeza, utilizando produtos suaves e evitando o uso de secadores e chapinhas. 

mulher arrumando os cabelos
Uma fase meio estranha… | Gif: Giphy.com

Opções para lidar com a queda de cabelo

A queda de cabelo durante a quimioterapia é desafiadora, mas para que o desafio seja um pouco mais leve, tente o ver como uma oportunidade para explorar novos estilos e acessórios cheios de personalidade! Afinal, existem diversas maneiras criativas de lidar com a mudança capilar.

Que tal experimentar cortes mais curtos e leves? Eles não apenas disfarçam a queda, mas também facilitam o cuidado com os fios remanescentes. Ou quem sabe adotar o visual raspado de uma vez? Essa escolha pode trazer uma sensação de controle sobre a situação, além de eliminar a preocupação com a queda gradual dos fios.

cena do filme Mad Max
Um visual meio Mad Max.| Gif: Giphy.com

Os acessórios também podem ser grandes aliados. Lenços coloridos, turbantes estampados, chapéus charmosos e bandanas não apenas protegem o couro cabeludo, mas também adicionam um toque de moda ao seu visual. Com tantas opções, é possível criar looks ótimos e adaptados ao seu estilo. Não é porque você está doente que não pode continuar a ser vaidosa, aliás esse é um movimento saudável.

Cuidar da saúde emocional é essencial. Como a queda de cabelo interfere na autoestima, é importante se esforçar para manter uma atitude positiva e buscar apoio emocional quando necessário.

Ah! Lembre-se de cuidar do couro cabeludo. 

Manter a região limpa e hidratada pode ajudar a reduzir possíveis coceiras e irritações, além de promover a saúde dos folículos capilares. Use produtos suaves e naturais, especialmente formulados para couro cabeludo sensível, para garantir o máximo de conforto durante esse período.

Importância do apoio emocional e social durante o tratamento

Cuidar da saúde mental é crucial durante esse período. A terapia pode ser uma ferramenta valiosa para lidar com o estresse, a ansiedade e a depressão que podem surgir. O suporte de um psicólogo ou psiquiatra ajuda a desenvolver estratégias para enfrentar esses desafios e promover o bem-estar emocional.

O apoio social também desempenha um papel importante. Manter-se conectado com amigos e familiares, mesmo que virtualmente, pode trazer conforto e apoio. Participar de grupos de apoio ou comunidades online voltadas para pessoas em tratamento de câncer também pode ser uma fonte valiosa de suporte e informação.

Estudos mostram que o suporte emocional pode melhorar significativamente a qualidade de vida dos pacientes, reduzindo o estresse, a ansiedade e a depressão associados ao diagnóstico e tratamento do câncer.

Permita-se sentir mas também administrar esses sentimentos. Assim, cada etapa do processo é superada da melhor forma possível. Aprenda a pedir ajuda.

Aqui no blog, compartilho mais dicas e experiências sobre queda de cabelo e quimioterapia durante o tratamento oncológico. Não deixe de conferir e se inspirar para atravessar esse momento com mais conforto e esperança. Podemos tornar essa jornada um pouco mais leve!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *