Qual é a relação entre o consumo da Carne e o Câncer?

Afinal, o que é Mito e o que é Verdade em  relação ao consumo da Carne e o Câncer?

Comer ou não comer ? Eis a questão!

A primeira e grande verdade é que, a carne é um dos alimentos mais controversos na história da nutrição.

E nos últimos anos, a reputação da carne foi severamente manchada, com estudos sugerindo que a ingestão de carne vermelha pode aumentar o risco de câncer e outras doenças.

Mas até onde isso é realmente verdade?

Para começo de conversa a carne de hoje não é o que costumava ser antigamente…

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

No ciclo da natureza, as vacas dão cria na primavera, no momento em que o pasto é mais abundante, e produzem leite durante vários meses, até o final do verão.

Imagine uma vaca selvagem em um campo há 10.000 anos atrás, pastando livremente e mastigando grama e várias outras plantas comestíveis.

Esse pasto é uma fonte particularmente rica em graxos ômega-3, que vão se concentrar no leite da vaca e, consequentemente, em todos os seus derivados.

Os ômegas-3 do pasto são encontrados também na carne do boi que se alimentou e nos ovos das galinhas criadas em liberdade e criadas com forragem, em vez de grãos.

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

Me lembro que quando eu era criança e visitava a minha avó, ela ia até o galinheiro e escolhia a galinha que iríamos comer naquele final de semana.

No entanto, a partir da década de 50, com o aumento da demanda de laticínios e carne, o milho (transgênico), a soja e o trigo, passaram a constituir a alimentação principal dos animais.

Esses alimentos quase não possuem ômega-3. E por outro lado, são muito ricos em ômega-6.

Acontece que os ácidos graxos ômegas-3 e ômegas-6 são ditos essênciais por não poderem ser fabricados pelo nosso corpo.

Em consequência disso, a quantidade de ômega-3 e ômega-6 em nosso corpo decorre diretamente das quantidades presentes na nossa alimentação.

Trocando em miúdos, dependem  do que as vacas ou as galinhas que nós comemos andaram se alimentando.

Se elas comem capim, então a carne, o leite e os ovos que nos oferecem são perfeitamente equilibrados em ômega-3 e ômega-6.  ( Um equlíbrio próximo de 1 por 1).

Agora se elas comem milho e soja, o desequilíbrio no nosso organismo pode chegar até a 1 por 40!

E quais as consequências ?

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

O desiquilíbrio na nossa alimentação em favor dos ácidos ácidos graxos ômega-6 aumenta a inflamação, a coagulação e o crescimento das células adiposas e cancerosas!

Além disso, não são só os bovinos os animais afetados por essa mudança.

A alimentação dos porcos e até mesmo as galinhas, por exemplo, mudou bastante nos ultimos 50 anos!

Segundo o Instituto Nacional de Saúde americano, os ovos produzidos pelas galinhas criadas com grão de milho contêm vinte vezes mais ômega-6 do que ômega-3.

No entanto o equilíbrio entre o ômega 3 e 6 são praticamente iguais nos ovos das galinhas caipiras.

Por isso, como eu consumo muito ovo, não abro mão de saber sua origem e só como ovos caipiras ou, na pior das hipósteses, orgânicos.

Além disso, o gado é por vezes tratado com hormônios como o estradiol e o zeratol, para acelerar o ganho de peso.

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

Enfim, a carne desses animais criados em confinamento, alimentados  com ração à base de grãos  também recebem hormônios promotores de crescimento e antibióticos.

E para completar a visão do inferno, algumas carnes são altamente processadas ​​depois que os animais foram abatidos.

Elas são defumadas, curadas e depois tratadas com nitratos, conservantes e vários produtos químicos. É aí que mora o perigo!

Antes de seguirmos adiante, é muito importante distinguirmos entre diferentes tipos de carne:

Carne processada:

Estes produtos são geralmente de vacas criadas em confinamento e passam por vários métodos de processamento.

Exemplos incluem salsichas, presuntos, bacon e embutidos como presunto, salame,etc.

Carne vermelha convencional:

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

As carnes vermelhas convencionais não são processadas, mas as vacas são cultivadas em confinamento, alimentadas com “Junkie food”, sem falarmos dos hormônios e antibióticos.

 Carnes que são vermelhas quando cruas são definidas como carnes vermelhas. Isso inclui cordeiro, carne bovina, carne de porco e alguns outros.

Carne branca:

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

 As carnes brancas  quando cozidas  são … advinha ? Brancas.

Isso inclui carne de frango, peixe e peru.

Muitas pessoas pensam equivocadamente que por se tratar de carne branca são mais saudáveis. Mas não se iluda, tudo também depende da forma como esse animal foi criado.

Carne orgânica  de animal alimentado com capim:

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

Esta carne vem de animais que foram naturalmente alimentados e criados organicamente, sem drogas e hormônios.

Eles também não podem ter nenhum produto químico artificial adicionado.

Portanto, ao examinar os efeitos  da carne sobre a saúde é, importante perceber que nem toda carne é criada da mesma forma.

A carne orgânica , por exemplo,  do animal que foi alimentado com capim , é nutricionalmente diferente da carne industrializada onde os animais são criados em confinamento e em larga escala.

Mas e  a relação da Carne e o Câncer , Doença Cardíaca e Diabetes ?

Vários estudos observacionais mostram que a carne vermelha está associada a um maior risco de doença cardiovascular, câncer e até mesmo diabetes .

No entanto, a gente já viu que nem toda carne vermelha tem os mesmos efeitos sobre a saúde.

Uma revisão maciça de 20 estudos em um total de 1.218.380 indivíduos descobriu que a carne processada foi associada a um aumento do risco de doenças cardíacas e diabetes.

No entanto, nenhuma associação foi encontrada para carne vermelha não processada.

Quando se trata de um aumento do risco de doenças cardíacas, diabetes e morte, é crucial distinguir entre carne processada e não processada, porque os dois podem ter efeitos muito diferentes.

A carne vermelha aumenta o risco de câncer?

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

Muitos estudos observacionais mostram que o consumo de carne vermelha está associado a um risco aumentado de câncer.

O principal tipo de câncer que se acredita que a carne vermelha causa é o câncer colorretal. O quarto câncer mais comumente diagnosticado no mundo.

Um problema recorrente nesses estudos é que eles parecem reunir carne processada e carne vermelha não processada.

Outros estudos sugerem que não é a carne em si, mas os compostos prejudiciais que se formam quando a carne é cozida, que contribuem para o aumento do risco.

Portanto, o método de cozimento pode ser um dos principais determinantes dos efeitos finais da carne sobre a saúde.

Vários estudos observacionais mostram que os consumidores de carne vermelha correm maior risco de câncer.

Mas revisões mais amplas analisando as evidências como um todo mostram que o efeito é fraco e inconsistente.

Esses tipos de estudos podem demonstrar que os indivíduos que comem muita carne vermelha têm mais probabilidade de adoecer.

Mas não podem provar que a carne vermelha é a causa.

Um dos principais problemas com tais estudos é que, por exemplo, pessoas que comem carne vermelha são menos preocupadas com a saúde.

E consequentemente, mais propensas a fumar, beber excessivamente, comer mais açúcar, se exercitar menos, etc.

As pessoas conscientes da saúde se comportam de maneira muito diferente das pessoas que não são, e é impossível isolar todos esses fatores.

Outro problema com os estudos observacionais é que eles geralmente são baseados em questionários de frequência alimentar.

Onde as pessoas devem se lembrar do que comeram no passado.

Enfim, muitas vezes, o grande vilão, não é a carne em si.

Mas os nitratos e outras substâncias, utilizadas para conservar a carne ou para cozinhar.

Como por exemplo, o alcatrão e o hidrocarboneto policíclico liberados na fumaça do carvão do churrasco.

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

Se você,  se chocou com essa informação, precisa ler esse outro Artigo que escrevi:  Os 10 alimentos que mais causam Câncer. O #7 é inacreditável!

Em outubro de 2015, a Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou um relatório concluindo que a carne vermelha é “provavelmente carcinogênica para os seres humanos”, o que significa que há algumas evidências de que ela pode sim aumentar o risco de câncer!

Além disso, a OMS concluiu que as carnes processadas – definidas como carne que foi salgada, curada, defumada ou outros processos para melhorar o sabor ou melhorar a preservação – são “carcinogênicas para humanos.

O que significa evidência suficiente que o consumo de carne processada aumenta o risco de câncer.

Uma alta ingestão de carne processada está associada a um risco maior de câncer colorretal, de acordo com a OMS.

Para chegar a essas conclusões, o Grupo de Trabalho da Agência Internacional para Pesquisa do Câncer (IARC) da OMS revisou mais de 800 estudos avaliando os efeitos de carnes vermelhas e processadas em vários tipos de câncer.

 Eles descobriram que cada porção de 50 gramas de carne processada – que inclui principalmente carne de porco ou carne bovina – consumida diariamente aumenta o risco de câncer colorretal em 18%.

O IARC também descobriu evidências de uma ligação entre o consumo de carne vermelha e o aumento do risco de câncer colo-retal, pancreático e de próstata.

Acredita-se que cozinhar carnes vermelhas a altas temperaturas – por meio de frituras ou churrascos, por exemplo – é o que contribui para um aumento do risco de câncer.

 E a galinha?  Comer frango aumenta o risco de Câncer ?

Não se iluda… A Sua carne de frango contém arsênico!

Segundo FDA ( Foods and Drugs Administration) a carne convencional de frango vendida em supermercados nos EUA pode ser perigosa para sua saúde.

Embora em doses elevadas, pode ser fatal,  arsênico é tóxico e prejudicial, mesmo em doses mais baixas.

O que é mais perturbador é que isso não é um acidente. O arsênico é adicionado ao alimento do frango de propósito.

A galinha consome o produto químico tóxico através de sua alimentação, que acaba na carne de frango que os humanos estão consumindo. Não é uma prática nova também.

Portanto, se você  está consumindo frango convencional, sinto te informar que contendo arsênico nos últimos sessenta anos.

Embora agora o FDA admita que o arsênico pode ser encontrado em seu frango, eles argumentam que está em um nível muito baixo e é seguro para consumo humano.

Isso é preocupante, considerando que o arsênico é um agente cancerígeno que pode aumentar o risco de câncer.

E se isso acontece nos Estados Unidos, que possuem uma legislação muito mais rigorosa, imagina o que não rola por aqui!

Sem falarmos do hormônios e antibióticos!

E o peixe?

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

Não sei se você chegou a ver essa foto. Eu particularmente fiquei chocada quando vi esse urso totalmente desnutrido… E infelizmente, esse não é um caso isolado.

O urso polar vive completamente afastado da civilização.

Entretanto, de todos os animais no mundo, o urso polar é o mais contaminado pelos produtos químicos tóxicos. A ponto de seu sistema imunológico e sua capacidade de reprodução estarem ameaçados.

O urso polar se alimenta de focas e grandes peixes, que se alimentam de peixes menores, que comem peixes menores ainda e algas.

Porém, os poluentes que despejamos nos nossos rios e mares, se acumulam no fundo do oceano.

Essas substâncias são “persistentes”, ou seja, não se decompõem. Mas, ao contrário, se acumulam no organismo dos animais que o ingeriram e são encontrado na gordura animal.

Primeiro, na dos pequenos peixes, depois na dos peixes maiores que comeram os pequenos, e assim vai…

Portanto, quanto mais elevados na cadeia alimentar, mais a quantidade de POP (poluentes orgânicos persistentes).

E, fatalmente, o urso polar, que se encontra no topo da cadeia alimentar, está pagando o pato pela cagada que estamos fazendo com o nosso planeta.

O super aquecimento global está derretendo as geleiras do polo norte e sul e ameaçando esse espécie.

E você, deve estar pensando agora que existe uma outra espécie que ocupa o topo da cadeia alimentar, acima até mesmo dos ursos polares: Os seres humanos.

Eu não sei se você sabe, mas as plantações de soja e milho, necessários para a alimentação dos animais são os maiores consumidores de adubos químicos, pesticidas e de água.

Eles contribuem mais que tudo para a deterioração do meio ambiente.

Pois é… Agora dá pra entender porque a saúde a cada dia que passa está se tornando artigo de luxo!

O fato é que fica muito difícil viver com boa saúde em um planeta doente.

O que eu vou comer agora?

Eu sei… Eu sei…Eu também já me fiz essa pergunta milhões de vezes!

O problema é que tem muita gente que aproveita essa situação para se justificar e sair comendo qualquer porcaria por aí, comprometendo ainda mais a sua saúde.

Mas ainda existem alternativas mais saudáveis!

E se você também acredita que podemos fortalecer a nossa saúde ou nos envenenarmos a cada garfada, eu tenho boas notícias para você!

Para se manter saudável, seu foco principal deve ser em desintoxicar a sua alimentação.

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

A sua base alimentar deve ser verduras, legumes, frutas, nozes, sementes, feijões e legumes ( preferencialmente orgânicos, que estão livres de Agrotóxicos)

Ou seja, você deve comer comida de verdade!

Por isso, adotei a Dieta Alcalina como meu estilo de vida Anticâncer.

Eu, inclusive escrevi um livro explicando tudo sobre essa alimentação. Você pode saber mais detalhes clicando na foto abaixo ; )

Se você gostaria de usar a sua alimentação para fortalecer o sistema imunológico e blindar o seu organismo de doenças.

Mas não tem ideia de por onde começar, eu fiz um Guia para iniciantes que você pode acessar CLICANDO AQUI.

O que mais você pode fazer?

Pare de comer carne

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

 Essa é a opção mais radical, porém pode trazer muitos benefícios à sua saúde.

Mas, para o tiro não sair pela culatra, aconselho que, caso você deseje fazê-la, busque apoio de uma nutricionista.

Especialmente se você estiver fazendo quimioterapia.

Eu mesma, assim que adotei a Dieta Alcalina como estilo de vida, queria parar de comer carne.

Mas fui expressamente proibida pela minha nutricionista por conta quimio e  por estar anêmica.

O fato é que verdade seja dita, a carne vermelha  é um dos alimentos mais nutritivos que você pode comer.

Carne tem muitas  vitaminas, minerais, antioxidantes e vários outros nutrientes que podem ter efeitos profundos na saúde.

A carne vermelha também é rica em nutrientes importantes, como creatina e carnosina.

Mais uma vez, que fique claro que, estamos aqui falando da carne que vem de animais que foram alimentados e criados naturalmente, sem crueldade.

Carne orgânica, que contém uma abundância de ômega-3 saudáveis ​​para o coração, o ácido graxo CLA, juntamente com quantidades maiores de vitaminas A e E.

Reduza o consumo de carne

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

Se você não está preparado para dar um passo radical  para eliminar completamente a carne da sua vida, reduzir seu consumo é um excelente começo.

Eu mesma, confesso que ainda como carne.

Você pode estranhar, pensando como eu faço a Dieta alcalina e como carne.

Mas ao contrário do que muitos pensam, a dieta alcalina não é necessariamente vegetariana.

Vamos lembrar que um dos princípios da dieta alcalina é que até 80% dos alimentos sejam alcalinos. E, portanto, podemos consumir até 20 % de alimentos ácidos.

Por isso, se você gosta e consome carne, você não precisa abdicar desse hábito alimentar para seguir a dieta alcalina.

E atualmente, ainda consumo carne, muito moderadamente.

Moderadamente significa 2 , no máximo 3 vezes por semana. Em pequenas porções, tá ?

Dou preferência a peixe e frango (orgânico).

A  quantidade de carne  que você deveria consumir na sua alimentação é  proporcional à sua mão fechada.

Essa é uma das vantagens da Dieta Alcalina, você pode até carne ( com todas as orientações que já citei nesse Artigo), mas ela não pode ser a estrela do seu prato.

O seu prato principal são sempre as verduras e legumes.

Compre Orgânico

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

Se você quiser ter frango e outros produtos de origem animal como parte de sua dieta regular, opte por produtos orgânicos.

Compre de produtores local. Converse com seu vendedor da sua loja de produtos naturais e conheça seu agricultor, fazendeiro.

Enfim, tente se inteirar da origem dos seus alimentos.

Carne orgânica é cara e difícil de achar. Ovos e frango são mais acessíveis.

E mesmo sendo caro, acho que sai muito mais caro quando perdemos a nossa saúde.

Ao optarmos pelos orgânicos, contribuímos também para restaurar uma alimentação muito mais saudável para os animais que fazem parte da nossa cadeia alimentar .

Além disso, gosto de saber que o animal que me alimenta, viveu com o mínimo de dignidade.

Nem vou entrar aqui em detalhes, mas a forma como os animais são criados pela industria alimentícia para nos alimentar é muito cruel.

Os animais vivem confinados, as vacas não podem dar de mamá aos seus filhotes, para que a gente beba o seu leite.

a relação entre o consumo de Carne e o Câncer

As galinhas só põem ovos, mas nunca veem seus pintinhos nascerem. E se elas não são criadas em sítios, ou fazendas orgânicas, nem direito a ciscar têm, porque vivem amontoadas em gaiolas!

Sem contar que dizem que o animal sente que vai morrer e  liberam hormônios de stress em sua carne durante o abate.

Você pode se inteirar mais sobre esse assunto, lendo esse artigo aqui: 16 fotos que vão mudar o que você pensa sobre comer carne. 

Isso só não vai acontecer se você comer carne kosher.

Kosher ou Kasher ou Cásher é a definição dada aos alimentos preparados de acordo com as leis judaicas de alimentação (denominadas de kashrut), e encontradas na Bíblia Sagrada ou na Torá (Levítico, 11:1-19; Êxodo, 22:31, 23:19, 34:26; Deuteronômio, 12:21-25; 14:1-21: Gênesis, 32:22-32).

Os alimentos kosher não são somente adquiridos por judeus, mas também por muçulmanos, adventistas, vegetarianos, pessoas com alergias a certos alimentos e ingredientes e outros consumidores que simplesmente consideram subjetivamente o alimento kosher como sendo de alta qualidade.

O Abate Kosher

O ritual de abate dos animais para o preparo da carne kosher é denominado de Schechita.

Esse ritual é supervisionado por uma pessoa chamada de Schochet, treinada por um longo período nas leis judaicas de alimentação. Em lugares pequenos ou distantes o próprio rabino realiza o abate.

Cada seção de schechita é precedida por uma prece especial denominada Beracha.

O objetivo do ritual é proporcionar rápida inconsciência e insensibilidade através da degola do animal ainda vivo (corte das artérias carótidas e veias jugulares).

A faca utilizada no ritual é chamada de Chalaf, apresenta quase meio metro de comprimento e é bastante afiada.

Após o abate, o pulmão e o tendão são inspecionados e verifica-se a presença de aderência (os pulmões são inflados). O trabalho prossegue com a identificação das carcaças.

A carne kasher destinada ao consumo, deve ter poucos vasos sangüíneos e nervos.

Os quartos dianteiros, carne de cabeça e costela são as partes mais consumidas entre os judeus. Desse modo, o preparo da carne, segundo o ritual kasher, tem como objetivo eliminar o máximo de sangue.

http://www.beefpoint.com.br/abate-kosher-4993/

 

ATENÇÃO PARA NÃO LEVAR GATO POR LEBRE:

Carnes e ovos orgânicos contêm pouco ou nenhum pesticida, hormônio ou antibiótico, mas não são necessariamente equilibrados nos níveis de ômega-3.

Se os animais receberam alimentação de milho de de soja orgânicos, mas não de pastagem livre, as carnes e os ovos continuam sendo excessivamente ricos em ômega-6 pró-inflamatório e deficientes em ômega-3.

Para garantir que você consuma produtos com a mesma qualidade da época dos seus avós, procure rótulos de comidas que especifiquem “alimentação de pastagem” ou “rico em ômega-3”.

O que gostaria que você refletisse é que  a nossa preocupação em consumir ou não carne, tem que ir muito além de sabermos se esse hábito alimentar pode causar ou não câncer.

Devemos ter consciência de que as nossas escolhas contribuem também para a forma como os outros animais são tratados.

Enfim, se adotamos uma maneira equilibrada e saudável de nos alimentarmos, ajudaremos não só o nosso corpo a se desintoxicar e se manter com saúde.

Mas também  estaremos colaborando para que o nosso planeta  recupere seu equilíbrio.

FONTE DE PESQUISA: Anticâncer -David Servan Schreiber

14 Comentários


  1. Patrícia, obrigado pelo blog, está sendo de grande ajuda pra mim, só tenho q te agradecer. Beijos


  2. Patrícia mto bom todo material que vc compartilha às vezes me faço esta pergunta o que comer saudável as opções são restritas que saudade do meu tempo de criança nos alimentavamos bem.


  3. Patrícia o blog é excelente , te agradeço muitíssimo por compartilha-lo.
    As informações estão sendo úteis pra mim.
    Obrigada.

Página 1 de 3 Próximo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *