Coronavírus e pacientes oncológicos: O que você precisa saber

Coronavírus e Pacientes Oncológicos são uma dupla explosiva…

 

O que eu quero dizer com isso? 

O Coronavírus é um assunto que está sendo massacrado pelas mídias  de todo o mundo.

De fato, conviver com essa pandemia está sendo um desafio para todo Nós.

No entanto, imagina o tamanho desse desafio para quem está passando por um desafio ainda maior: Superar um Câncer?

Se esse é o seu caso, fica comigo porque nesse Artigo, nós vamos  falar sobre o que é o coronavírus.  E, principalmente, qual o real risco para um paciente oncológico.

Nós vamos desmitificar algumas fake news que se disseminaram mais rápido que o vírus. 

E também  vou compartilhar o que você pode fazer para fortalecer a sua imunidade e a sua saúde mental  em tempo de corona vírus.

Vem comigo : )

O que é o Coronavírus

Muito provavelmente você já deu um Google ( quem nunca!) sobre esse tema.

Caso, você não tenha sucumbido à curiosidade, eu trago para você a definição do Coronavírus segundo a Wikipédia:

pandemia de COVID-19 é uma doença respiratória aguda causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2).

A doença foi identificada pela primeira vez em Wuhan, na província de Hubei, República Popular da China, em 1 de dezembro de 2019, mas o primeiro caso foi reportado em 31 de dezembro do mesmo ano. Acredita-se que o vírus tenha uma origem zoonótica, porque os primeiros casos confirmados tinham principalmente ligações ao Mercado Atacadista de Frutos do Mar de Huanan, que também vendia animais vivos.

 Em 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde declarou o surto uma pandemia.

Até 28 de março de 2020, pelo menos 590 594 casos da doença foram confirmados em mais de 200 países e territórios, com grandes surtos nos Estados Unidos (mais de 85 000 casos), na China continental (mais de 81 000 casos), Itália (mais de 80 000 casos), Espanha (mais de 56 000 casos) e Alemanha (mais de 43 000 casos).

Pelo menos 26 943 pessoas morreram (mais de 8 200 na Itália, mais de 4 000 na Espanha e mais de 3 200 na China) e 130 865 foram curadas.

 

Trocando em miúdos, o coronavírus forma uma família de vírus causadores de problemas respiratórios, que na forma mais leve, causa um resfriado comum, mas…

Como sempre pode haver um mas…

Nessa nova versão, o vírus pode causar  quadros mais graves de insuficiência respiratória que, podem levar à óbito.

Enfim, o coronavírus foi identificado pela primeira vez em 1960 , mas com essa mutação atual, foi detectado pela primeira vez na China  em dezembro de 2019, causando a COVID-19.

 

Como o Coronavírus é transmitido?

A principal forma de contágio do novo coronavírus é o contato com uma pessoa infectada, que transmite o vírus por meio de secreções respiratórias:  Tosse, espirros, saliva ou coriza.

Essas secreções podem contaminar as pessoas que estiverem próximas  ( até 1 metro).

Mas não é só isso:

O vírus pode se manter vivo por vários dias em superfícies de plástico e metal! 

É aí que mora o perigo…

Sintomas do Coronavírus

Os sintomas da infecção pelo COVID-19  são semelhantes aos da gripe:

Febre, tosse seca, dor no corpo, dor de cabeça, dor de garganta, coriza, dificuldade para respirar…

Por que é tão grave?

Talvez você tenha se perguntado, se os sintomas são os de uma gripe porque o mundo parou? Será que é tão grave assim?  Não estão exagerando?

De fato,  a humanidade já enfrentou outras doenças mais letais… No entanto, o contágio pelo  coronavírus é extremamente  fácil e rápido.

Esse contágio que acontece de forma exponencial, faz com que a curva de crescimento seja assustadoramente crescente. E ela dobra a cada 3 dias.

 Levando em consideração o tamanho da nossa população  (  em torno de 210 milhões de habitantes) , você pode imaginar o tamanho do desafio que o nosso frágil e ineficiente sistema de saúde terá pela frente.

Daí a importância do isolamento social.

Nesse Artigo publicado pelo washington Post  você poderá entender em detalhes porque surtos como o Coronavírus explodem de forma exponencial e porque o isolamento social pode achatar essa curva de crescimento.

Somente dessa forma, as pessoas que adoecerem gravemente terão condições de serem assistidas pelo nosso sistema de saúde.

Aliás, nenhum sistema de saúde, por mais preparado que esteja, não conseguirá atender a todos que necessitam de maiores cuidados, se a grande maioria adoecer ao mesmo tempo.

Pois em alguns casos, a infecção evolui para uma pneumonia e insuficiência respiratória, e necessário que o paciente  fique isolado, seja entubado. E sua recuperação é lenta.

Além disso,  a taxa de mortalidade chega perto de 15% para pessoas acima de 80 anos.

É exatamente isso o que está acontecendo na Itália e em outros países da Europa.

Clicando nesse site da BBC, você consegue acompanhar em tempo real o número de casos ativos, pessoas curadas e mortes em todo o mundo.

Quem é grupo de risco?

A doença é mais agressiva em pessoas com mais de 60 anos. E/ou pessoas com doenças crônicas ou imunossuprimidas.

Ou seja, pessoas que já têm a saúde comprometida, problemas pulmonares, doenças cardiovasculares, doenças crônicas no rim.

É aí que o bicho pega pra gente!

Sim, pacientes oncológicos têm um risco maior de complicações.

Coronavírus e Pacientes oncológicos: Todos nós estamos em risco?

Essa é uma pergunta que me fazem muito:

Paty, estou fazendo hormonoterapia, tomando Tamoxifeno, letrozol, etc… Estou no grupo de risco?

Paty,  já terminei o tratamento. Mas estou fazendo acompanhamento, faço parte do grupo de risco?

Vamos por partes…

Segundo o Oncoguia, entre os pacientes com câncer, os que têm maior risco de desenvolver a forma grave da infecção pelo COVID-19 são aqueles com neoplasias hematológicas (como leucemias, linfomas e mieloma múltiplo).  

Aqueles que passaram por transplante de medula óssea e aqueles em tratamento com quimioterapia. 

Portanto, quem já terminou a quimioterapia e radioterapia  e está apenas fazendo hormonoterapia tem o mesmo risco que a população.

O que não significa que você não tem risco de contrair o vírus, ou de não ter complicações.

Portanto, é melhor TODOS nós, sem exceção colocarmos nossas barbas de molho.

Coronavírus e pacientes oncológicos – Suas dúvidas respondidas:

Eu pedi para os participantes do meu Programa de Acompanhamento em Grupo: Câncer com Leveza,  tirarem suas maiores dúvidas sobre esse assunto e compilei as perguntas mais frequentes para compartilhar aqui no meu blog.

– Devo abandonar o tratamento?

A resposta é um sonoro Nãaaaaaaaao! 

Essa questão nem deveria passar pela sua cabeça…

Existem formas de prevenção  que minimizam o risco de contrair o vírus.

A possibilidade de parar com o tratamento só deve ser considerada se você tiver sintomas do coronavírus.

-O que fazer se tiver sintomas?

Os sintomas da infecção pelo COVID-19 são muito semelhantes ao da gripe. E pode ser facilmente confundido.

Por isso, a orientação independente de ser paciente oncológico ou não é não sobrecarregar ainda mais o nosso sistema de saúde.

Ou o que pode ser ainda mais arriscado, entrar em contato com pessoas possivelmente contaminadas pelo COVID-19.

Portanto, se você sentir tosse, falta de ar, dor muscular, dor de cabeça, de garganta e/ou coriza, comunique ao seu oncologista.

E ele é certamente a melhor pessoa para te orientar sobre o que fazer.

E somente se a coisa evoluir para falta de ar, febre alta ou piora rápida do estado geral, você deve procurar imediatamente um pronto atendimento.

– E se alguém da família desenvolver os sintomas?

Fuja de casa!

Brincadeirinha…

Se possível evite ao máximo o contato com essa pessoa. Não durma no mesmo cômodo. Não compartilhe o mesmo talher, toalha, lençol, etc.

Faça o  possível e o impossível para não ter nenhum contato com essa pessoa suspeita. Todo cuidado é pouco!

– Vacinas devem ser tomadas?

No dia 23/03/20, o Ministério da Saúde  antecipou a Campanha Nacional de Vacinação contra gripe.

Nessa primeira etapa a prioridade é dada aos idosos e trabalhadores na área da saúde.

É importante frisar que a vacina contra influenza não é eficaz contra o Coronavírus.

Mas será vantajoso na medida em que os sintomas da gripe comum e do coronavírus são muito parecidos. E diminuindo os casos de gripes, o sistema de saúde fica menos sobrecarregado.

Agora presta atenção, se você é paciente oncológico e ainda está em tratamento, muito provavelmente seu oncologista não irá permitir que você se vacine.

Independente de em que fase do tratamento você está , oriente-se sempre com seu oncologista sobre a possibilidade de se vacinar.

Ele está te acompanhando, conhece o seu caso, seu organismo e sabe da necessidade e do risco de você participar dessa campanha de vacinação.

– O coronavírus deixa sequelas?

Ainda é cedo demais para falarmos sobre as sequelas deixadas pelo coronavírus. O que se sabe atualmente é que os cientistas identificaram turvamento em tomografias dos pulmões de pessoas que se curaram da infecção.

A preocupação principal são os pulmões, já que  o CODIV-19 ataca as vias respiratórias.

Por hora, o que se sabe é que em alguns pacientes, a função pulmonar pode cair de 20% a 30% após a cura.

– Máscaras são de fato necessárias?

Afinal, quando e quem deve usar máscara?  Usar máscaras é de fato eficaz?

Pesquisas apontam que somente o uso de máscaras faciais durante surtos virais como o coronavírus  é eficaz no caso de profissionais da saúde, ou caso você tenha algum sintoma de gripe para não contaminar outras pessoas.

Com base nessas evidências, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o uso de máscaras faciais para:

  • Quem  apresentar sintomas respiratórios, como tosse, espirros ou dificuldade em respirar, mesmo quando procurar atendimento médico, para proteger as pessoas ao seu redor.
  • Pessoas (incluindo familiares) que prestam atendimento a pessoas com sintomas respiratórios.
  • Profissionais de saúde, quando entram em uma sala com pacientes ou quando tratam um indivíduo com sintomas respiratórios e de acordo com o tipo de atendimento que será prestado.

É importante deixar claro que em nenhuma dessas circunstâncias, o uso somente de uma máscara facial garante a proteção contra infecções.

E que portanto, o uso de máscaras deve ser combinado com outras medidas de proteção pessoal, como higienizar as mãos, manter distância de pessoas com sintomas e praticar a etiqueta respiratória (ao tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com um lenço – em seguida, jogar fora o lenço e higienizar as mãos).

 

FAKE NEWS: Surto de idiotice espalha 10 x mais rápido que o coronavírus

fake news do coronavírus
Esse anúncio é fake News ( notícia falsa), Mas você pode mostrar pra sua avó se ela não quiser ficar em casa : D

Nos grupos de whatsapp da vida e mesmo nas mídias sociais as fakenews espalham mais que o coronavírus.

E os absurdos vão desde a teoria da conspiração, falsas curas, netxflix e mais uma série de serviços gratuitos.

E até mesmo, pasme: Que sexo e masturbação previne o coronavírus…

Jesuuuuuisssss!

Eu sinceramente gostaria de entender o que se ganha disseminando medo, falsas esperanças e ignorância em um momento tão delicado e de tanta tensão que a humanidade inteira está vivendo.

Eu acredito que informação ( de qualidade é poder) .

E por isso, compartilho esse site onde você pode conferir se a mensagem que você acabou no seu grupo da família é verdadeira ou não:

Netflix liberou acesso grátis durante o período de isolamento em site no WhatsApp #boato

E principalmente, não passar adiante pânico e Medo…

 

Prevenção: O que fazer para evitar o contágio

Até agora a gente só falou do problema. Então agora vamos falar da solução.

Com certeza  reduzir o convívio social é a medida mais eficaz para evitar o contágio.

Então, vamos sossegar o facho em casa, minha gente!

Também não adianta não sair de casa, mas ficar recendo um monte de visitas, né?

Por isso, é fundamental em tempos de coronavírus seguirmos as orientações das autoridades e cumprirmos com a quarentena.

Ao cumprimentar alguém, evite contato físico …

Nada de beijos, abraços ou apertos de mão. Parece exagero, mas conforme já vimos o vírus espalha de maneira exponencial devido a infectados assintomáticos.

Lave as mãos com água e sabão , ou álcool gel várias vezes ao dia.

Caso precise sair, e eu sugiro, que você só saia para fazer o tratamento, evite transporte público e aglomerações .

Em situações que você não consegue manter um distanciamento social de pelo menos 1 metro , como elevador, ou tratamento, use máscaras.

Não compartilhe seus objetos pessoais, como celular, copos, talheres, canetas, etc.

E por falar em celular, limpe-o constantemente com álcool isopropílico. Assim como seus eletrônicos.

Tenha cuidado ao apoiar malas e bolsas fora de casa para evitar contaminá-las.

Outra coisa importante é que no dia da sua consulta ou do seu tratamento, você leve somente um acompanhante, não é pra você levar a sua família inteira.

E preferencialmente, que seja um acompanhante com menos de 60 anos.

 

Dicas infalíveis para fortalecer o seu sistema imunológico em tempo de coronavírus

Esse vírus pegou a todos nós de calças arreadas. Especialmente, quem já tem que superar um desafio tão complicado quanto um câncer.

Mas por outro lado, toda essa situação nos trás ainda mais clareza sobre algo que todo paciente oncológico está careca de saber:

Nós não temo o controle. Nunca tivemos e nunca teremos 100% de controle sobre as nossas vidas.

Mas ainda assim podemos sempre escolher como podemos  superar nossos desafios.

E no caso do coronavírus, podemos manter o nosso sistema imunológico pronto para a batalha.

Stress, noites mal dormidas, sedentarismo e má alimentação enfraquecem o nosso sistema imunológico.

Aqui no meu blog você vai encontrar uma série de artigos para te ajudar a fortalecer ainda mais  o seu sistema imunológico em tempos de coronavírus.

Uma dica rápida do que estou fazendo todos os dias é um chá de  1 limão, 1 dente de alho e uma rodela de alho. Bato tudo no liquidificador com 2 copos de água, coo e tomo morno.

Mas se você quiser turbinar ainda mais seu sistema imunológico , eu separei alguns artigos que já escrevi aqui no blog pra você:

-10  Surpreendentes Alimentos para aumentar a imunidade durante e após a quimioterapia

-Como fortalecer o seu sistema imunológico e blindar o seu corpo do Câncer e outras doenças

5 Hábitos saudáveis que garantem um vida longe do Câncer

Coronavírus e Pacientes Oncológicos- O que fazer para manter a sanidade mental nesse período?

 

Evite ficar o tempo todo buscando informações sobre a pandemia. Especialmente em fontes não confiáveis, isso vai te deixar ainda mais ansiosa.

Conecte-se com algo maior que você. Independente de religião, é importante fortalecer a sua espiritualidade … Um pouco de fé e esperança de que dias melhores virão diminuem a tensão…

Crie hábitos que podem te ajudar a retomar o seu equilíbrio interior. Eu comecei a Meditar durante o meu tratamento e super recomendo!

Praticar o Autocuidado, especialmente cuidar da Alimentação, administrar seu nível de stress, dormir bem também são ótimas pedidas. Pois irão fortalecer seu sistema imunológico e principalmente sua autoconfiança, na medida em que você terá a certeza de que dias melhores virão…

Recentemente, eu dei uma Aula no meu Programa de Acompanhamento em grupo sobre Como recriar Hábitos Anticâncer.

E você poderá assistir CLICANDO AQUI. Depois volta aqui para me dizer o que achou, combinado?

2 Comentários


  1. Amei o conteúdo Paty estamos esforçando para colocar em prática tudo que teus ensinamentos foram nos preparando ao longo do tempo de acompanhamento . Mas no momento ler seu artigo nos deixa mais seguras de que estamos no caminho certo ou que devemos nos alinhar. Muitíssimo grata a Deus e a você por cuidar tão bem de mim …com orientações tão eficaz pra minha vida se alinhar espiritualidade fisicamente e socialmente ….Que Deus continue te abençoando. Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *