Oncologia integrativa: Descubra os benefícios dos tratamentos alternativos ao Câncer

Já é sabido que diversos tratamentos alternativos ao Câncer são fundamentais para nos dar qualidade de vida durante o tratamento.

Mas hoje você irá se surpreender como alguns tratamentos, aparentemente simples, poderão cooperar com seu processo de cura e manutenção da saúde.

Além disso, na luta contra o câncer, tudo o que possa nos ajudar é sempre bem vindo, não é mesmo?

E para te ajudar nessa jornada de cura, decidi escrever o artigo de hoje.

Abaixo, você vai descobrir alguns tratamentos alternativos que fazem parte da chamada oncologia integrativa.

E que quando combinados com o tratamento tradicional, têm trazido resultados bastante animadores.

Oferecendo mais bem-estar físico e emocional aos pacientes em tratamento.

Eu mesma fiz uso de alguns tratamentos alternativos ao Câncer. E recomendo!

Ficou curiosa?

Descubra abaixo como a Meditação, a Musicoterapia, Aromaterapia, a Acunputura e o Yoga, podem melhorar sua qualidade de vida nesse momento tão complicado!

Antes de começarmos é preciso esclarecer algumas coisas:

Os tratamentos que vou citar sozinhos não curam o Câncer. E portanto, não têm como objetivo substituir o tratamento tradicional.

Apesar de muitas pessoas procurarem por outros tipos de tratamentos, não convencionais. Como você já deve saber, substituir o tratamento tradicional por alternativos,  não é indicado!

Pelo contrário, segundo diversos estudos e pesquisas atrasar o tratamento convencional, para tentar outros tipos de tratamento, é algo que tem acontecido bastante nos últimos anos.

Apesar disso, esses estudos também afirmam que esses novos tratamentos, que prometem milagres, chegam a dobrar o risco de morte!

Por isso, não caia nessas armadilhas!

Eu sei o quanto fazer quimioterapia é “Sofrença”. O tratamento é puxado mesmo, mas é o que comprovadamente cura!

No entanto, os tratamentos descritos abaixo, como eu disse, podem ser usados como uma complementação.

Apesar de serem considerados tratamentos alternativos, eu prefiro, classificá-los como tratamentos complementares ao tratamento convencional.

E eles têm como principal objetivo melhorar nossa qualidade de vida. E nos ajudar a enfrentar os desafios que o tratamento nos impõe com mais leveza.

Já que atuam não só em relação à nossa saúde física, mas também nossa saúde mental e emocional.

Dito isso, vamos lá!

A Meditação como um dos tratamentos alternativos ao Câncer

tratamentos alternativos ao Câncer

Em algum momento da sua vida, sem dúvidas, você já ouviu falar sobre a Meditação.

Apesar da imensa quantidade de informação disponível sobre a prática, muita gente ainda torce o nariz quando ouve falar dela.

Alguns porque imaginam que ela esteja ligada a uma religião e, por isso, não se sentem muito à vontade.

Outros, porque, num mundo corrido como o que vivemos, se sentar por 10 minutos e “não fazer nada”, parece perda de tempo!

Há ainda aqueles que já tentaram meditar alguma vez e, simplesmente, não conseguiram!

E, por isso, deixaram para lá…

Do outro lado da equação estão os adeptos da meditação.

Geralmente, quem pratica todos os dias, por um tempo, nunca mais consegue abandonar a prática.

Eu sou fã e adepta da Meditação. Comecei a meditar no meio do tratamento, para amenizar a insônia.

Além disso, tive alguns episódios de pânico que contornei, sem precisar de remédios, apenas criando o hábito de meditar todos os dias pela manhã e antes de dormir.

Mas afinal, o que é meditação?

Essa é uma questão um tanto difícil de responder, já que a meditação, hoje, abrange uma série de técnicas e versões diferentes.

Assim, para pessoas diferentes, ela pode significar coisas diferentes.

Embora existam diversos tipos e formas de meditação, todos eles têm algo em comum.

A prática consiste não em  tentar se livrar daqueles pensamentos que invadem a nossa mente o tempo todo, como a maioria imagina. Mas em observar nossos pensamentos e nossas emoções.

E, consequentemente, nossa mente desacelera.

Como isso não é algo fácil, podemos usar de alguns artifícios.

Como, por exemplo, focar em nossa própria respiração, na chama de uma vela, numa parte de nosso corpo, usar uma meditação guiada, etc.

Passar 5, 10 ou 30 minutos observando os pensamentos e tentando não pensar em nada pode parecer absurdo para a maioria das pessoas.

Sobretudo, em tempos como esses em que vivemos, sempre ocupados e com listas do que fazer que nunca tem fim.

Não é mesmo?

No começo, aqueles pensamentos insistentes vão aparecer! Mas a ideia é a de deixar que eles apenas “passem” por você. Sem dar a eles muita atenção.

Com o tempo e com a prática, a meditação se torna mais fácil.

E esses pensamentos se tornam cada vez mais escassos.

Além disso, com o tempo e a prática, o que muitas pessoas conseguem alcançar é um estado de paz, tranquilidade e calma nos momentos de meditação.

Aqui vai um dado super interessante:

Você sabia que passamos 47% da nossa vida vagando pelos nossos pensamentos?

E que, apenas nesses 53% restantes estamos vivendo o momento presente?

Ou seja, estamos de fato vivendo a nossa vida no Aqui e Agora, que é onde a vida acontece apenas na metade do nosso tempo.

A outra metade estamos como “Walking deads” ( zumbis).

Parece absurdo, não é mesmo?

Mas não é! Esse dado é fruto de um estudo publicado pela Universidade de Harvard!

O estudo também aponta que o fato de estarmos constantemente, revivendo o que nos aconteceu no passado ou imaginando o que pode acontecer no futuro nos deixa infelizes.

Na matéria publicada no site da Universidade de Harvard, seus autores afirmam:

“Muitas filosofias e religiões ensinam que felicidade é algo que se encontra vivendo o momento presente e seus praticantes são treinados a resistir a ficar vagando em seus pensamentos e viver “aqui e agora”… Essas tradições sugerem que uma mente que está sempre vagando é uma mente infeliz.”

Segundo eles, nesse caso, essas filosofias e religiões estão certas! E isso foi comprovado cientificamente.

Para quem está passando por qualquer problema de saúde, os pensamentos negativos, o medo, o estresse e a ansiedade, muitas vezes, se tornam constantes.

E como você já sabe, isso não faz bem nenhum a você!

E, muitas pessoas, acabam virando escravas dos próprios pensamentos e sentimentos negativos.

O que acaba interferindo em outros campos de nossas vidas e até mesmo na nossa saúde.

Mesmo com câncer, ainda estamos vivas e temos muito o que aproveitar, como por exemplo, o tempo que passamos com as pessoas que amamos e todas aquelas coisas que nos dão prazer.

E a meditação é uma ótima aliada nesse processo!

Benefícios gerais da Meditação

tratamentos alternativos ao Câncer

 

No Livro Atenção Plena, que é um dos tipos de meditação, Mark Willians, seu autor, fala de alguns benefícios da prática.

Para qualquer pessoa que pratique meditação regularmente, com câncer ou não, alguns dos benefícios que ela traz são:

-“A ansiedade, a depressão e a irritabilidade diminuem com sessões regulares de meditação.

-A memória melhora, as reações se tornam mais rápidas e o vigor mental e físico aumenta.

-Os meditadores regulares têm relacionamentos melhores e mais gratificantes.

-Estudos feitos no mundo todo comprovam que a prática da meditação reduz os principais indicadores do estresse crônico, incluindo a hipertensão.

-A meditação é eficaz também para reduzir o impacto de doenças graves, como dor crônica e câncer, podendo até auxiliar no combate à dependência de drogas e álcool .

-Além disso, pesquisas indicam que a meditação fortalece o sistema imunológico, ajudando a combater resfriados, gripe e outras doenças.”

A meditação e os pacientes de câncer

tratamentos alternativos ao Câncer

Os estudos que envolvem a meditação para pessoas diagnosticadas com câncer são relativamente novos. E datam apenas de duas décadas atrás.

Por se tratar de uma ideia nova, ainda não há resultados comprovados de que a meditação interfira, de forma direta, no tratamento do câncer.

Apesar disso, algumas pesquisam apontam para alguns benefícios que já foram encontrados nos pacientes oncológicos que praticam meditação regularmente.

Segundo uma matéria do site Cancer Reaserch UK, que fez uma análise de alguns estudos na área, alguns dos benefícios já comprovados são:

  • melhora do humor
  • melhora na qualidade e quantidade de sono do paciente
  • melhora da concentração e da memória
  • redução da depressão e ansiedade
  • redução de sintomas, como náusea
  • melhora do sistema imunológico.

Numa outra matéria, publicada no site Cancer, do Canadá, alguns dos benefícios citados são:

  • redução da dor crônica
  • redução da pressão arterial.

Por último, há outro estudo bem interessante para citarmos aqui. Este foi realizado com sobreviventes de câncer de mama.

Esse estudo afirma que a meditação ajuda a diminuir o medo que as pacientes têm da doença acontecer novamente.

O que, segundo a Doutora Jane Beith, responsável pelo projeto, melhora consideravelmente a qualidade de vida dessas pessoas.

Além disso, já escrevi aqui no Blog sobre o quanto o Stress, o sentimento de impotência e o desespero colaboram para o surgimento e crescimento do Câncer.

E o contrário, será que a serenidade também tem o poder de o frear?

Certos casos excepcionais sugerem isso.

Como por exemplo, Ian Gawler, autor do livro : You can conquer Cancer ( você pode vencer o Câncer), que infelizmente ainda não tem versão em português.

Ele foi diagnosticado com um osteossarcoma ( Câncer nos ossos) muito grave em sua perna.

Uma amputação seguida de um ano de tratamentos convencionais não tinha conseguido bloquear o tumor, que se espalhou pelo quadril e tórax, onde se manifestava por saliências disformes.

Seu Oncologista lhe deu um mês de vida.

Não tendo mais nada a perder, Ian Gawler mergulhou em uma prática intensiva de meditação afim de alcançar a calma que ele havia experimentado no Yoga.

No fim de algumas semana, para admiração geral, ele parecia estar melhor.

No fim de alguns meses de meditação intensiva : Uma hora, três vezes ao dia, acompanhada de uma dieta muito severa, ele recuperou suas forças .

E as deformidades ósseas do seu tórax  desapareceram completamente. E pasme, Ian Gawler está vivo até hoje, passados mais de 30 anos da sentença de morte dada por seu oncologista.

tratamentos alternativos ao Câncer

O que é importante na hora de meditar

Para quem está em tratamento, talvez o mais importante na hora de meditar, é achar uma posição na qual você fique confortável.

Apesar de ser comum meditar na posição de lótus, isso não é necessário. O mais importante é encontrar algo que se adapte a você.

Se você se sentir confortável sentado, ótimo! Se não, saiba que você pode meditar deitado, no conforto da sua cama.

Uma boa forma de adotar a meditação é fazê-la sempre ao acordar. Antes de se deixar levar pelos pensamentos e preocupações do dia a dia.

Quando você faz isso, as chances de você ter um bom dia, aumentam significativamente.

Meditar à noite, antes de dormir também é excelente. Pois nosso inconsciente guarda como as informações mais importantes do nosso dia, os nossos últimos pensamentos.

Então, que tal invés de pensar besteira, alimentar ansiedade, pensamentos pessimistas, você acalmar a sua mente escutando uma meditação guiada?

A Musicoterapia como um dos tratamentos alternativos ao Câncer

tratamentos alternativos ao Câncer

Seja para dançar sozinha (ou não) no quarto, para cantar bem alto no chuveiro, para colocar os fones de ouvido e dar aquela pausa no mundo ao nosso redor…

Mas você sabia que a música pode se tornar sua aliada no tratamento contra o câncer?

É isso que alguns estudos vêm sugerindo nos últimos anos!

Esse artigo afirma que desde 2002 há um programa de musicoterapia, adotado pelo INCA em parceria com o Conservatório Brasileiro de Música – Centro Universitário (CBM-CEU).

Segundo Marly Chagas, que é psicóloga e supervisora do projeto, em primeiro lugar a música é capaz de interferir no ritmo das batidas do coração e proporcionar o relaxamento muscular. O que pode causar o bem-estar físico nos pacientes.

Além disso, segundo ela, a música também ajuda bastante na questão emocional do paciente em tratamento.

Ela afirma que:

“Entre a dor e a música, o cérebro prefere a música”.

E afirma também que a musicoterapia diminui a ansiedade, o desconforto e até mesmo a dor nos pacientes. E que, em alguns casos, esse tratamento pode reduzir até mesmo o tempo de internação.

No INCA, o tratamento também é utilizado no setor infantil. Nesse caso, Marly afirma o seguinte:

“Crianças que não demonstravam ânimo ou alegria, com a terapia, esquecem o sofrimento e a dor e ultrapassam os seus limites, cantando e tocando instrumentos improvisados”

Os tratamentos com a musicoterapia no INCA são variados. Sobre eles, a psicóloga afirma:

“Podemos utilizar técnicas de audição (ouvir a música), de recreação (cantar), além de tocar, compor e improvisar”, comenta. Os resultados dependem da resposta de cada um aos estímulos.”

tratamentos alternativos ao Câncer

Num artigo publicado pelo site Cancer Treatment Centers of America, alguns outros benefícios também são citados. Como, por exemplo:

-Aumentar o senso de “normalidade”, que muitas vezes é perdido quando estamos doentes.

-Liberar emoções negativas

-Expressar sentimentos, que de outra forma não seriam expressados.

-Redução do estresse e relaxamento do corpo e a mente.

-Ajudar as pessoas a viverem no “aqui e agora”.

Como é possível, concluir pelas pesquisas e dados acima, a música pode interferir, de forma positiva, na qualidade de vida dos pacientes.

Tanto ao longo do tratamento em si, quanto no momento da recuperação.

Já que ela apresenta melhorias tanto na saúde emocional, quanto na saúde física. No sentido de que diminui a dor e o desconforto.

Uso de frequência sonora no tratamento do câncer pode se tornar realidade no futuro!

tratamentos alternativos ao Câncer

É isso mesmo que você leu! Incrível, não é mesmo?

No ano de 2010 Marcia Capella, pesquisadora do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (UFRJ), começou este estudo que envolve a musicoterapia como tratamento para pacientes oncológicos.

O resultado foi surpreendente!

Ao expor pacientes com câncer de mama a 5ª Sinfonia de Beethoven, cerca de 20% das células cancerígenas morreram, além disso, ouve também diminuição de tamanho e granulosidade dessas células.

Ao expor os pacientes à composição Atmosphères, de Gyorgy Ligeti, algo semelhante aconteceu. Apesar disso, a Sonata para 2 Pianos em  Ré Maior não teve nenhum efeito nas células cancerígenas.

estudo, publicado no site do Portal do Programa de Oncobiologia da UFRJ  é inovador, e ainda é preciso entender melhor como as frequências e quais frequências agem nas células cancerígenas.

No futuro, com dados mais aprofundados, a professora afirma que será possível criar sequências específicas que ajam diretamente nas células doentes.

O que, sem dúvidas, seria um grande avanço na ciência.

Já que a música afetou apenas as células cancerígenas e não causou nem um tipo de efeito colateral, tão comuns com a radioterapia.

Eu mesma, durante meus ciclos de quimioterapia, gostava de escutar músicas relaxantes e imaginar minha vida quando eu estivesse saudável novamente.

Inclusive, criei uma playlist dedicada à minha cura.

Esse é um hábito simples que você pode adquirir não só durante os ciclos de quimioterapia, mas em todo o tratamento.

O Yoga como um dos tratamento alternativos ao Câncer

Nos últimos tempos, o yoga também tem se destacado como tratamento complementar contra o câncer.

O yoga, ou ioga, é uma prática muito antiga, que data de mais de 5.000 anos atrás. A palavra vem do sânscrito e pode ser traduzida como “unir ou integrar”.

Podemos dizer que o principal objetivo do yoga é o de harmonizar o corpo e a mente. Para isso, ele faz uso das ásanas (posturas) e das pranayamas (técnicas de respiração).

No yoga, os movimentos de alongamento são realizados de forma lenta e gentil, sempre em conjunto com a respiração profunda e calma.

tratamentos alternativos ao Câncer

Quais os benefícios da yoga?

Segundo o Centro Médico da Universidade de Rochester, o yoga pode ajudar os pacientes em tratamento e recuperação oferecendo:

  • relaxamento do corpo e da mente
  • redução do estresse
  • senso de bem-estar
  • melhoria da qualidade de vida, em geral

Além destes benefícios, outros citados pelo site Cancer Research UK são:

  • diminuição da ansiedade e depressão
  • maior flexibilidade
  • melhora do humor

Além disso, o site cita que pacientes afirmam que o yoga os ajuda a lidar com o tratamento tradicional e com a doença, em si!

E que, em alguns casos, ele também ajuda a reduzir os sintomas e efeitos colaterais do tratamento. Além de reduzir a dor, a insônia e o cansaço.

No site australiano da Solaris Cancer Care, são citados mais alguns benefícios, como por exemplo:

  • diminuição do medo da recorrência do câncer
  • melhora da digestão
  • diminuição das náuseas e vômitos, em pacientes com câncer de mama

Super legal, não é mesmo?

Cuidados para quem deseja adotar o yoga como tratamento complementar

Diferente da meditação ou da musicoterapia, o yoga envolve o movimento corporal. Portanto, ele exige cuidados especiais!

Em primeiro lugar, é preciso perguntar ao seu médico se ele é indicado para você. É seu médico que vai saber se as posturas ou alongamentos não vão te prejudicar.

Além disso, é preciso sempre contar com alguém que, realmente, entenda do assunto para conversar antes de iniciar a prática.

Por isso, procure um profissional na área de yoga para esclarecer dúvidas e te ajudar a decidir o que é melhor para você.

Por último, também é importante destacar o seguinte: Apesar de algumas posturas parecerem desafiadores e difíceis para quem está começando, o objetivo do yoga não é dominar todas essas posturas em pouco tempo.

Sendo assim, é preciso respeitar o seu corpo e os seus próprios limites. Tenha certeza de que você vai encontrar posturas um tanto inusitadas!

No entanto, segundo quem pratica yoga, ele tem o poder de nos ajudar a fazer as pazes com nosso próprio corpo.

O que é essencial nesse momento! E também a nos olhar no espelho com muito mais respeito e amor próprio.

Aromaterapia como um dos tratamentos alternativos ao câncer

tratamentos alternativos ao Câncer

Aromaterapia é o uso terapêutico de óleos essenciais (também conhecidos como óleos voláteis) de plantas (flores, ervas ou árvores) para a melhoria do bem-estar físico, emocional e espiritual.

Aromaterapia é usada por pacientes com câncer principalmente como tratamento de suporte para o bem-estar geral.

A aromaterapia pode ser usada com outros tratamentos complementares (por exemplo, massagem e acupuntura).

Óleos essenciais são substâncias líquidas voláteis extraídas de material vegetal aromático por destilação a vapor ou expressão mecânica.

Os óleos produzidos com o auxílio de solventes químicos não são considerados verdadeiros óleos essenciais. Eles estão disponíveis para inalação e tratamento tópico.

Os efeitos da aromaterapia são teorizados como resultado da ligação de componentes químicos no óleo essencial a receptores no bulbo olfatório, afetando o centro emocional do cérebro, o sistema límbico.

A aplicação tópica de óleos aromáticos pode exercer efeitos antibacterianos, anti-inflamatórios e analgésicos.

Estudos em animais mostram efeitos sedativos e estimulantes de óleos essenciais específicos, bem como efeitos positivos sobre o comportamento e o sistema imunológico.

Ensaios clínicos em humanos investigaram a aromaterapia principalmente no tratamento de estresse e ansiedade em pacientes com doenças críticas ou em outros pacientes hospitalizados.

Vários ensaios clínicos envolvendo pacientes com câncer foram publicados.

A aromaterapia tem um perfil de toxicidade relativamente baixo quando administrada por inalação ou aplicação tópica diluída.

Pesquisa em pacientes com câncer mostrou que a aromaterapia pode ajudar a aliviar:

  • Ansiedade
  • Depressão
  • Insônia
  • Pressão alta

O que esperar de uma típica sessão de Aromaterapia

Uma sessão de aromaterapia geralmente começa com uma entrevista durante a qual o aromaterapeuta fará perguntas sobre sua personalidade, seus interesses, sua saúde geral e seus sintomas específicos.

Suas respostas ajudarão o terapeuta a decidir que tipo de fragrância melhor se adequaria às suas necessidades.

Após esse bate-papo, o aromaterapeuta seleciona uma mistura de óleos que ele ou ela considera adequados para você.

O aromaterapeuta aplicará os óleos ao seu corpo, geralmente massageando-os em sua pele.

Você provavelmente será orientado a não tomar banho por várias horas depois, para permitir mais tempo para os óleos penetrarem em sua pele.

A Associação Nacional de Aromaterapia Holística relata que óleos comumente usados ​​podem ter os seguintes benefícios:

Alívio da dor de cabeça: Hortelã-pimenta

Estimulação do sistema imunológico: Eucalipto, alecrim, tea tree

Alívio da tensão muscular: camomila, sálvia, eucalipto, hortelã-pimenta, ylang ylang

Relaxamento: Ylang ylang, gerânio, lavanda, limão, sálvia e camomila

Alívio do problema respiratório: Eucalipto.

Aromaterapia é segura, embora óleos aplicados à sua pele podem causar reações alérgicas. Especialmente se você estiver fazendo quimioterapia.

Pessoas com câncer que é sensível ao estrogênio, como alguns tipos de câncer de mama, devem evitar a aplicação de grandes quantidades de óleo de lavanda e óleo de melaleuca à pele.

Se você estiver tendo problemas com cheiro por conta da quimioterapia, talvez essa não seja uma opção de tratamento complementar para você.

Acupuntura como mais um dos tratamentos alternativos ao câncer

tratamentos alternativos ao Câncer

A acupuntura é usada para tratar a dor e alguns outros sintomas do câncer. Assim como, os efeitos colaterais do tratamento.

A acupuntura é um tratamento que envolve colocar agulhas finas no corpo em pontos específicos. As agulhas são deixadas no lugar por um curto período e depois removidas.

A acupuntura pode ajudar com alguns problemas físicos, como dor, inchaços, náuseas . Mas também pode ajudar a reduzir sintomas como a ansiedade e cansaço ( a fadiga oncológica).

A acupuntura começou nos sistemas tradicionais da medicina asiática.

Tornou-se uma parte importante da medicina chinesa cerca de 2000 anos atrás. Mas agora sabemos como funciona em termos científicos também.

A acupuntura médica ocidental é uma interpretação moderna da acupuntura baseada em pesquisas científicas.

Os tratamentos são dados após um diagnóstico médico. Eles podem ser usados ​​juntamente com tratamentos convencionais de câncer, como medicamentos contra o câncer ou radioterapia.

A acupuntura é usada para, além de tratar uma ampla gama de condições de dor, aliviar alguns outros sintomas do tratamento:

  • boca seca
  • falta de ar
  • fogachos
  • Algumas pessoas também dizem que a acupuntura as ajuda a se sentir relaxadas e melhora sua sensação de bem-estar.

Como funciona

Teorias antigas da medicina chinesa sugerem que uma força vital ou energia chamada Qi flui através do corpo ao longo de canais chamados meridianos.

A acupuntura altera esse fluxo para restaurar ou otimizar a boa saúde.

Pesquisas médicas mostram que a acupuntura funciona estimulando os nervos. Isso libera substâncias que podem reduzir os sintomas do câncer.

Ele libera algumas das nossas próprias morfinas naturais como substâncias (endorfinas) na medula espinhal e no cérebro aliviando a dor.

A serotonina também é liberada pela acupuntura. A serotonina é um analgésico que pode promover uma sensação de bem-estar.

O que envolve

Em sua primeira visita, o terapeuta lhe fará perguntas gerais sobre sua saúde e estilo de vida. Isso pode incluir como você está dormindo, comendo e sentindo tanto fisicamente quanto emocionalmente.

Informe  sobre quaisquer problemas de saúde que você tenha e quaisquer medicamentos que você tomar.

Fale sobre os sintomas do câncer ou os efeitos colaterais do tratamento que você tem.

Ele podem precisar alterar o tratamento para atender às suas necessidades específicas.

Portanto, discuta quantos tratamentos você precisará antes de começar porque vai variar.

Seu terapeuta pode recomendar que você tenha tratamentos uma ou duas vezes por semana no início.

É provável que você veja uma melhora em cerca de 3 a 6 sessões se a acupuntura ajudar você.

Durante o tratamento

O praticante coloca agulhas descartáveis ​​de aço inoxidável em sua pele.

O tratamento geralmente começa com apenas algumas agulhas. Isso pode mudar dependendo da sua resposta e dos sintomas que você tem.

As agulhas não devem causar dor, mas você pode sentir uma sensação de formigamento. Eles são deixados no local por 10 a 30 minutos.

O terapeuta pode gentilmente apertar ou virar as agulhas para estimular seus nervos.

Ou, eles podem anexar uma corrente elétrica muito fraca às agulhas. Isso é chamado de eletroacupuntura.

Em algumas situações, o profissional deixará um tipo especial de agulha muito pequena na pele para aliviar os sintomas.

Para acupuntura de orelha (auricular), o terapeuta colocará agulhas ou contas pequenas (contas de acupressão) na parte externa da orelha. Eles podem deixá-los no lugar por alguns dias.

Atenção:

A acupuntura é segura se for realizada por um profissional licenciado usando agulhas esterilizadas.

A acupuntura não é segura se você estiver tomando anticoagulantes ou se tiver um número baixo de glóbulos sanguíneos, portanto,antes de considerar adotar esse tratamento complementar, verifique primeiro com seu médico.

 

 Oncologia integrativa é recomendada pelo INCA!

tratamentos alternativos ao Câncer

Acima, você descobriu 5 tratamentos complementares para os pacientes oncológicos.

Esses cinco tratamentos são altamente recomendados em conjunto com o tratamento convencional. E eles fazem parte do que se chama de oncologia integrativa.

Infelizmente, nem todos os hospitais e médicos estão preparados para nos informar sobre essas opções.

Como consequência disso, muitas vezes, os pacientes tem de lidar com toda a carga emocional envolvida no processo, sozinhos!

Apesar disso, como você viu acima, essas práticas têm em comum o fato de oferecerem muito mais qualidade de vida para quem está em tratamento ou recuperação.

Se você quiser saber um pouquinho mais sobre a oncologia integrativa, confira esse artigo científico, publicado no site do INCA.

Espero que você tenha gostado das dicas!

E, se gostou, compartilhe esse artigo nas redes sociais!

Com certeza, ele vai chegar a alguém que também está precisando de uma forcinha extra na hora de enfrentar o câncer!

E se você faz algum outro tipo de tratamento complementar ao câncer, fique à vontade para sugerir aqui embaixo nos comentários : )

————–

Se você deseja o meu acompanhamento de perto na sua Jornada rumo à cura, clique abaixo e saiba como posso te ajudar. Ninguém deveria ter que passar por isso sozinha!

https://go.hotmart.com/O5729907P?scr=Blog-postTratamentosAlternativosBanner

17 Comentários


  1. Muito bom o seu texto!!!
    Esclarecedor!!!
    Bom embasamento!!!
    Só achei longo!!!
    Mas para ser completo não teria outra maneira!!!
    Se você puder tratar ítem por ítem novamente, eu gostaria!!!
    Que Deus a abençoe abundantemente!!!
    Abraços e beijos


  2. Muito esclarecedor o texto 🙏


  3. @Oi Patrícia, estou fazendo meditação e sigo as orientações do Gui Ortiz. Tem me ajudado bastante. Já terminei a radioterapia, mas como sou muito ansiosa e tb depois do tratamento, preciso continuar a me cuidar bastante.
    Obrigada pela grande ajuda que vc me da até hoje com os seus artigos.
    Bjs

Página 1 de 4 Próximo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *