Câncer Metastático: Como é a vida de quem tem

Hey, pessoal! Hoje quero compartilhar com vocês uma perspectiva única e importante sobre um assunto que pode afetar muitas vidas: o câncer metastático. Agora, antes de começarmos, deixe-me dizer algo: não sou médica, mas vivi pessoalmente a experiência desafiadora do câncer. E como terapeuta, eu acompanho pacientes oncológicos diariamente, e por isso vou compartilhar formas de lidar com esse cenário com coragem e resiliência.

Juntos, vamos descobrir como é a vida de quem convive com um câncer metastático e sua rotina. Vamos explorar as emoções, os desafios diários, os momentos de superação e as estratégias que podem fazer toda a diferença no processo de recuperação.

Se você está passando por isso, sabe que não está sozinho. Se conhece alguém que tem o câncer metastático, esteja preparado para uma jornada repleta de altos e baixos, mas também com momentos de inspiração e esperança.

Então, vamos lá, vamos mergulhar nesse assunto de maneira única, verdadeira e sem clichês. Prenda seu cinto emocional e prepare-se para uma leitura que pode tocar seu coração e trazer uma nova perspectiva sobre a vida com câncer metastático.

Câncer metastático rotina
A mudança de perspectiva pode fazer toda a diferença no processo de cura do câncer. | Foto: Freepik.

O que é um câncer metastático?

Hora de desvendar um dos mistérios do mundo oncológico: o câncer metastático. Mas antes de mergulharmos nesse assunto, deixe-me compartilhar algo com vocês: minha avó costumava dizer que, quando se trata de câncer, conhecimento é poder. E é exatamente isso que quero trazer para vocês agora, um poderoso conhecimento sobre essa condição.

Então, vamos lá! O câncer metastático é como um aventureiro ousado que decide explorar além dos limites do seu local de origem. Imagine que você tem uma gangue de células rebeldes que decidem sair em uma jornada pelo seu corpo, estabelecendo acampamentos em lugares que nem imaginávamos que poderiam chegar. É como se elas fossem em busca de novas terras para conquistar e espalhar sua influência.

Agora, é importante mencionar que o câncer metastático não é um simples passeio turístico. É um desafio sério que requer atenção e cuidado. Quando essas células cancerosas encontram seu novo lar, elas começam a se multiplicar e a formar tumores em órgãos distantes. Isso significa que, se você tinha um câncer no pulmão que resolveu dar um rolê até o fígado, agora temos uma situação de câncer metastático no fígado. E aí as coisas ficam um pouco mais complicadas.

O câncer metastático é como uma festa indesejada que as células cancerosas organizam nos órgãos mais distantes do seu corpo. É como se elas tivessem enviado convites secretos e agora estão fazendo uma bagunça que você precisa controlar. Mas não entre em pânico! A medicina avançou muito no entendimento e no tratamento desse tipo de câncer, e há maneiras de cronificar a doença e até mesmo alcançar a remissão.

No mundo do câncer metastático, o tratamento requer uma abordagem estratégica e personalizada. Os médicos se tornam verdadeiros detetives, investigando as características únicas do câncer e projetando um plano personalizado para que o organismo possa ficar livre das células rebeldes. Isso pode envolver uma combinação de cirurgia, radioterapia, quimioterapia, imunoterapia e terapia direcionada, dependendo do tipo e da localização do câncer.

A vida com câncer metastático pode ser uma montanha-russa emocional, cheia de altos e baixos. Mas é importante lembrar que você não está sozinho nessa jornada. Há uma comunidade de pessoas incríveis que estão lidando com esse desafio de cabeça erguida, buscando apoio uns nos outros e compartilhando suas histórias de coragem e resiliência.

Então, se você está vivendo com câncer metastático, lembre-se de que você é mais forte do que imagina. Busque apoio, informação e recursos, e nunca subestime o poder da esperança. Juntos, podemos chegar à cura e continuar escrevendo nossa própria história, página por página.

Como lidar com o medo da metástase e como é a vida de quem tem câncer metastático? (H2)

Já escrevi aqui no Blog sobre o medo. Você pode ler aqui abaixo:

Mas antes disso, puxa a cadeira e respira fundo que hoje o nosso bate-papo vai ser profundo… quero te mostrar que é possível aprender a lidar com o medo de forma positiva e ainda podemos tirar vantagem desse sentimento.

E também, vou compartilhar uma História inspiradora de uma amiga de destino que possui câncer metastático e que vai mudar a sua perspectiva em relação à doença. Eu fui diagnosticada em 2014, com Câncer de Mama infiltrante grau 3.

O câncer que tive estava localmente avançado. Então, precisei fazer esvaziamento axilar. Retirei 13 linfonodos da axila. Porém, 3 linfonodos estavam comprometidos. Isso significava Metástase.

Após o pet scan, meu oncologista se certificou que a doença ainda não tinha atingido nenhum órgão. Pois quando o Câncer se espalha para outros órgãos, isso significa que temos um câncer metastático.

Mas… precisei fazer uma mastectomia radical, 16 ciclos de quimioterapia e 28 sessões de radioterapia para garantir que eu não tivesse uma recidiva ou metástase. Atualmente faço hormonoterapia. E seguirei com o Tamoxifeno por 10 anos.

E por que estou te contando tudo isso? Para que você possa imaginar o quanto já senti medo desde o diagnóstico. Aliás, o medo é um sentimento constante na vida de todo paciente oncológico. Independente se ele tem câncer metastático ou não.

Por isso, é tão importante aprendermos a lidar com ele, caso contrário, nosso corpo se tornará uma casa mal assombrada e vamos entrar em pânico a cada novo resfriado ou dor que sentimos.

Saiba como é o tratamento

Vamos falar de um assunto importante e cheio de esperança: o tratamento para o câncer metastático. Agora, segurem-se nas cadeiras, porque estou prestes a contar uma história repleta de estratégias e soluções surpreendentes. Então, preparem-se para uma jornada de tratamento que vai desafiar seus conceitos e renovar sua esperança.

Uma das formas de remover o câncer é através da cirurgia, mas essa nem sempre é a única ou a melhor opção, especialmente quando as células cancerosas se espalham por mais de dois ou três órgãos do corpo. É aí que entram as terapias sistêmicas, como a quimioterapia, a radioterapia, a imunoterapia e as terapias direcionadas. Cada uma delas tem um papel específico no processo de recuperação de um câncer metastático. 

A quimioterapia, por exemplo, atinge todas as células cancerosas, enquanto a radioterapia trata áreas específicas. Já a imunoterapia é uma espécie de reforço para o sistema imunológico, fortalecendo-o para que a quantidade de células rebeldes diminua. E as terapias direcionadas têm o papel de lidar com pontos específicos no câncer.

Mas o tratamento não se resume apenas a essas estratégias médicas. Ele envolve uma abordagem multidisciplinar, com uma equipe de especialistas trabalhando em conjunto para criar um plano personalizado para você. Psicólogos, nutricionistas, terapeutas  e profissionais de apoio podem fazer parte dessa equipe, oferecendo suporte emocional, orientação nutricional e cuidados holísticos.

Nesse jogo, é importante lembrar que cada caso é único. O tratamento pode ter efeitos colaterais, como fadiga, náuseas ou queda de cabelo, mas é fundamental discutir essas questões com sua equipe médica, para que eles possam ajudar a aliviar os sintomas e adaptar o plano de tratamento conforme necessário.

E não vamos esquecer do ingrediente secreto: a fé. A esperança é o combustível que alimenta sua determinação ao longo do caminho de cura. Acreditar em si mesmo e confiar na sua equipe médica são ferramentas poderosas na cura do câncer metastático. Fortalecer a sua conexão com Deus, independente do seu credo, também vai fazer muita diferença.

Como é a vida de quem tem câncer metastático?

E se você fosse diagnosticada aos 25 anos com câncer de mama… e  se, depois de fazer uma mastectomia, 8 ciclos de quimioterapia, rádio, hormonoterapia (o temido tamoxifeno) por 5 anos, você superasse o câncer, mas aos 33 anos, quando você achava que o Câncer era uma página virada na sua vida, sua doença voltasse com metástases em tantos lugares que os médicos te desenganassem…

E se você tivesse que fazer 19 cirurgias… e eu não escrevi errado, são dezenove mesmo! Isso não é ficção, mas a História REAL da minha Amiga de Destino, Fernanda Brites, que tenho o maior orgulho em conhecer pessoalmente e hoje é o meu maior referencial de superação!

A Fernanda convive com a doença há 14 anos. E leva uma vida normal! E conviver com a Fernanda me fez perder o medo do câncer metastático… bem, vou parar de escrever, porque eu prefiro que você assista um trechinho da palestra maravilhosa, que ela deu para as minhas alunas do Programa Câncer com Leveza.

CLIQUE  para assistir a História de superação da Fernanda AQUI 

Você pode assistir muitas outras histórias inspiradoras de mulheres que superaram o câncer metastático AQUI. 

É possível viver bem tendo câncer metastático?

Se você acredita que ter câncer metastático significa uma vida repleta de limitações, prepare-se para uma surpresa! Hoje vamos desvendar um segredo importante: é possível viver bem, mesmo com o desafio do câncer metastático. Sim, você ouviu direito! A vida continua e pode ser cheia de significado, alegria e realizações, mesmo diante das adversidades.

Viver bem com câncer metastático é como aprender a dançar sob as estrelas em meio a uma tempestade. Pode parecer impossível no começo, mas com o tempo você descobre o ritmo, encontra equilíbrio e aprende a aproveitar cada passo, independentemente do clima.

Uma das chaves para viver bem com câncer metastático é encontrar um equilíbrio entre cuidar de si mesmo e continuar perseguindo seus sonhos e paixões. Sim, o câncer pode mudar a perspectiva, mas não precisa definir os limites da sua vida. Aproveite cada momento, seja conectando-se com pessoas queridas, desfrutando das coisas simples da vida ou buscando novas experiências que tragam felicidade e propósito.

Não se esqueça de que você não está sozinho nessa jornada. Construa uma rede de apoio sólida, com amigos, familiares e profissionais de saúde que estejam ao seu lado para oferecer suporte emocional, físico e espiritual. Compartilhar suas experiências e ouvir as histórias de outras pessoas que estão passando por desafios semelhantes pode trazer conforto, inspiração e uma sensação de comunidade.

Outro aspecto importante é cuidar da sua saúde mental. O câncer metastático pode ser uma montanha-russa emocional, e é essencial buscar suporte terapêutico para lidar com o estresse, a ansiedade e outros desafios emocionais que possam surgir. Encontre técnicas de relaxamento, meditação ou práticas criativas que ajudem a acalmar a mente e nutrir sua saúde mental.

E, é claro, a qualidade de vida é uma prioridade. Encontre um equilíbrio entre descanso e atividade física, adaptando-se às suas necessidades e limitações. Mantenha uma alimentação saudável e nutricionalmente equilibrada, pois uma boa nutrição é fundamental para fortalecer o corpo e a mente.

Por fim, lembre-se de que viver bem com câncer metastático é um processo individual, e cada pessoa encontrará seu próprio caminho. Não compare sua jornada com a de outros, celebre suas próprias conquistas e aprenda a apreciar cada momento. Descubra o que traz alegria e significado para você e permita-se viver plenamente, mesmo em meio às incertezas.

Então, meu amigo, saiba que é possível viver bem, apesar do câncer metastático. Encontre a coragem dentro de si, abrace a vida com gratidão e descubra a beleza que existe mesmo em meio às tempestades. Você é mais forte do que imagina, e eu acredito na sua capacidade de viver uma vida plena e significativa, independentemente dos desafios que possam surgir.

Saiba como superar o medo

O medo é um companheiro constante quando estamos passando por um câncer metastático, mas hoje vamos desafiar esse intruso indesejado. Acredite em mim, é possível superar o medo e encontrar uma coragem dentro de nós que nunca pensamos ser possível. Prepare-se para descobrir estratégias poderosas que o ajudarão a diminuir o medo e encontrar força além das suas expectativas.

Primeiro, é importante reconhecer que o medo é normal e compreensível. O câncer metastático traz incertezas e desafios, e é natural sentir-se apreensivo diante do desconhecido. Aceite suas emoções, pois elas são válidas e fazem parte da jornada. Lembre-se de que você não está sozinho nessa caminhada.

Agora, vamos abrir a caixa de ferramentas e encontrar aquelas que nos ajudarão a lidar com o medo. Uma das ferramentas mais poderosas é o conhecimento. Busque informações sobre o seu tipo de câncer, tratamentos disponíveis, opções de cuidados e histórias de sobreviventes. Quanto mais você souber, mais preparado estará para tomar decisões informadas e encarar os desafios com confiança.

Outra estratégia eficaz é construir uma rede de apoio forte. Compartilhe suas preocupações com amigos, familiares, grupos de apoio ou mesmo com profissionais de saúde. Ouvir as histórias de outras pessoas que passaram por situações semelhantes pode trazer conforto e inspiração. Compartilhar suas emoções e ser ouvido por pessoas que se importam com você é uma poderosa forma de controlar o medo.

Não subestime o poder da mente e da espiritualidade. Práticas como meditação, ioga, exercícios de respiração ou mesmo terapias complementares podem ajudar a acalmar a mente e nutrir sua espiritualidade. Encontre o que funciona melhor para você e incorpore essas práticas em sua rotina diária.

Além disso, defina metas realistas e alcançáveis para si mesmo. Concentre-se no presente e no que está ao seu alcance. Quebre os desafios em etapas menores e celebre cada etapa terminada, não importa o quão pequena seja. Lembre-se de que você já é mais forte do que imagina, e cada passo que você dá em direção à superação do medo é uma demonstração do seu poder interior.

Por fim, não se esqueça de cuidar de si mesmo. Ame-se incondicionalmente e permita-se descansar, nutrir-se e cuidar do seu bem-estar físico, emocional e mental. Encontre tempo para fazer as coisas que lhe trazem alegria e felicidade. Encontre beleza nos momentos simples da vida e conecte-se com a natureza, pois ela tem um poder curativo único.

Saiba que o medo não precisa ser o protagonista da sua história. Você é mais forte do que imagina e possui uma resiliência inabalável. Supere o medo, abrace a coragem e encontre a paz interior que irá guiá-lo nessa jornada. Você está no controle, e o medo não tem o poder de definir o seu destino.

Portanto, respire fundo, confie em si mesmo e dê um passo de cada vez. Lembre-se de que você não está sozinho e que há uma multidão de pessoas ao seu redor, prontas para apoiá-lo. O medo pode ser um desafio, mas a coragem está ao seu alcance, e há uma luz dentro de você que irá iluminar o caminho para uma vida plena, mesmo em meio ao câncer metastático.

Você é o protagonista da sua própria história, e eu acredito em você. Juntos, vamos deixar o medo para trás e escrever um capítulo de coragem, resiliência e esperança.

Câncer Metastático – 3 estratégias para superar o Medo

1.Abra o seu coração

É muito comum nós não aceitarmos os nossos medos.

A gente segue em frente, fingindo que não é com a gente.

Sempre que aquele pensamento que nos aterroriza surge, a gente tenta pensar em outra coisa.

Só que essa negação é uma péssima estratégia, porque lá no fundo sempre fica aquela sensação, a cada novo check up, de que o Câncer está na próxima esquina, à espreita prestes a nos alcançar…

Saiba que os nossos medos são como crianças. Eles querem a nossa atenção. Então, inicialmente eles sussurram na nossa cabeça.

E enquanto a gente finge que não é com a gente, como crianças que desejam um pouco de atenção, esses medos começarão a falar mais alto…

E quanto menos você olhar para eles, mais eles gritarão e irão tirar a sua paz.

Pois o Medo carrega mensagens importantes e quando temos coragem suficiente para olharmos para o que nos assusta, podemos despertar a nossa intuição para o que esse medo está tentando nos sinalizar.

E com isso abrimos um novo caminho para a cura emocional.

Portanto, respire fundo e se pergunte: Do que é que tenho tanto medo?

Abra o seu coração para descobrir que mensagem seu Medo quer te comunicar.

2.Não julgue seus Medos.

Convide-os para tomar um chá…

O Medo faz parte da natureza humana. Ninguém se torna fraco por sentir medo. O que nos enfraquece é nos deixar paralisar por conta de sentir medo.

É como dizem por aí:

“Vai!!! E se sentir medo, vai com medo mesmo!”

Então, acolha o seu Medo. Deixe o seu Medo falar. Escute-o com atenção. Tente entender que mensagem ele quer te trazer…

Esse é o primeiro passo para superá-lo. Você precisa definir o seu Medo. Tem uma citação do Sêneca que diz:

Reserve um certo número de dias para viver com os alimentos mais ínfimos e as roupas mais baratas e pergunte para si mesmo: Era disso que tinha tanto medo?

E a mesma estratégia serve para metástase ou qualquer outro medo que você tenha que superar…

Conhecer outras mulheres que têm Câncer Metastático e que levam uma vida plena e são felizes, me fez ver a Metástase com outros olhos e ela deixou de ser um bicho papão que me aterrorizava.

É claro que eu sei que o Câncer mata, algumas pessoas  que têm metástase sofrem muito e não resistem.

Mas também tem muitas pessoas que vivem com qualidade de vida!

Aliás, com os avanços da medicina, o Câncer metastático está caminhando para se tornar uma doença crônica.

E mesmo nos casos, em que a medicina afirma não existir cura, há controle!

E portanto, Câncer Metastático não é o fim da linha…

A minha pergunta para você é :

Para onde você prefere olhar? Que tipo de olhar você deseja adotar? Você quer ter uma visão pessimista ou otimista da sua vida?

Como é a vida de quem tem Câncer Metastático?

Câncer Metastático

E se você fosse diagnosticada aos 25 anos com câncer de mama…

E  se, depois de fazer uma mastectomia, 8 ciclos de quimioterapia, rádio, hormonoterapia  (O temido tamoxifeno) por 5 anos, você superasse o câncer!

Mas aos 33 anos, quando você achava que o Câncer era uma página virada na sua vida, sua doença voltasse com metástases em tantos lugares que os médicos te desenganasse…

E se você tivesse que fazer 19 cirurgias…

(eu não escrevi errado: São dezenove mesmo!)

Isso não é ficção, mas a História REAL da minha Amiga de Destino, Fernanda Brites, que tenho o maior orgulho em conhecer pessoalmente e hoje é o meu maior referencial de superação!

A Fernanda convive com a doença há 14 anos. E leva uma vida normal!

E conviver com a Fernanda me fez perder o Medo do Câncer Metastático.

Bem, vou parar de escrever, porque eu prefiro que você assista um trechinho da palestra maravilhosa, que ela deu para as minhas alunas do Programa Câncer com Leveza.

CLIQUE  para assistir a História de superação da Fernanda AQUI

3. Identifique o que é Real e o que é Fantasia

Muitas vezes, aliás, na maioria das vezes, o nosso medo nada mais é que uma projeção pessimista do nosso futuro.

Quando fui diagnosticada, tive medo de morrer, medo de fazer a mastectomia e sentir dor, medo de fazer quimioterapia e não resistir , senti medo de ficar careca e ser rejeitada, medo de fazer radioterapia e queimar a minha prótese de silicone, e tantos outros medos…

Assim como o medo da metástase, nenhum desses medos se tornaram reais.

E então entendi que temos muitos medos e que a maioria deles são apenas fantasias.

Quando você é assaltada e tem uma arma apontada para a sua cabeça, o risco de morrer é real . E o seu Medo é legítimo. E também real.

Esse medo está ligado ao nosso instinto de preservação da vida.

Mas quando você vai fazer um check-up, o medo que você está sentindo, não é real. Não há risco de morte. E portanto, seu medo é apenas uma fantasia…

Ter clareza para distinguir o que é fantasia do que é real é uma estratégia que vai te ajudar a deixar seus medos do tamanho que eles de fato têm.

Espero que o Artigo de Hoje possa te auxiliar a lidar melhor com seus Medos.

Essas são algumas das estratégias que funcionaram comigo e funcionam quando oriento os meus alunos e coachees.

Eu também já publiquei um vídeo no meu canal com esse tema:

Uau, chegamos ao fim dessa viagem de conhecimento pelo universo do câncer metastático! Espero que tenha sido uma jornada esclarecedora e inspiradora para você.

Então, agora eu gostaria de ouvir de você:

Coloque nos comentários qual a Mensagem que seu (s) Medo(s) estão tentando te trazer e qual estratégia você vai por em prática a partir de agora?

Eu, como alguém que viu e entende a realidade desse desafio, posso afirmar com convicção que a vida de quem tem câncer metastático é cheia de reviravoltas, altos e baixos, mas também de muitas oportunidades de aprendizado e crescimento.



As inscrições para o meu Programa Câncer com Leveza estão abertas!

Essa é a minha Mentoria em grupo para ajudar outras pessoas a superarem o diagnóstico com mais clareza e autoconfiança.❤️

Eu vou segurar a sua mão na sua jornada de cura física e emocional.

Clique abaixo para ter o meu acompanhamento de perto por 1 ano.

⬇️⬇️⬇️

 

46 Comentários


  1. Patrícia vc e abençoada obrigado tem me ajudado m muito ,graças a Deus sou saudável meu marido tem câncer metástase.aprendi muito com vc estou fazendo direitinho os sucos e alimentação. Obrigado Deus abençoe muito você 🙏🙏


  2. Gostei muito do artigo. Estou nesse momento passando por um. Já fiz a quimio, e continuo no controle com exames. Sigo na fé. Um dia da cada vez. Aprendi muito. Estou tentando melhorar a alimentação, fazer exercícios físicos. São primordiais . Gosto muito de ler seus artigos, que caem como uma luva e penso não estou só. Gratidão.


  3. O medo faz parte da natureza humana… O que precisamos fazer é aprender a lidar com ele da melhor forma possível. Não deixar que ele nos paralise, nem nos impeça de viver.É possível!


  4. Olá meu nome é Selma tenho 46 anos e trato o câncer de pulmão há 4 anos e 5 meses começou no pulmão esquerdo e mediastino tratei fiz quimio e rádio do mediastino sumiu mais do pulmão ficou persistente hoje tenho nos dois pulmões fiz imunoterapia também somando todos as quimios já fiz 80sessões é agora fiz rádiocirurgia no tumor maior. Sou perseverante tenho fé mais muito medo entre um exame e outro fico nervosa, ansiosa e com muito medo mais ergo minha cabeça e caminho pra frente pedindo a Deus que me de força e discernimento para enfrentar td isso.


  5. Boa tarde. Sua Vânia Ribeiro , médica ginecologista. Tive Ca de mama em 2003, passei por quadrantectomia + radioterapia. Recidiva na mesma mama em 2005 com mastectomia e colocação de próteses + uso de Tamoxifeno por 5 anos. Alta da oncologia em 2010. Em 13/03/19 senti dor a altura do vesícula e fui diagnosticada com Ca de Mama com metástases hepáticas. Passei por implante do Catéter e biópsia hepática. Inicio a quimioterapia esta semana e estou muito confiante. Muitos beijos e força pois vamos precisar.


  6. Tive câncer de mama Her 2 + em 2016, fiz mastectomia esquerda com esvaziamento axilar, retirei 28 linfonodos e 16 estavam contaminados, não fiz reconstrução logo, passei por 4 quimios vermelhas, 12 brancas e 28 sessões de radioterapia, hoje estou ótima, apenas pedindo a Deus não ter uma recidiva. Muita saúde a nós ??


  7. Oi amada. Sou Géssica. Não tenho câncer, mas tenho medos, muitos medos, medo de um dia o câncer bater na minha porta, medo da químico, medo de não conseguir. O medo não é da morte, é medo de sofrer. Isso é tão egoísta da minha parte. O medo consome a vontade de viver, todo dia é uma batalha. Olho pra vocês e vejo o quanto vocês são maravilhosas, fortes, incríveis. Vejo tanta força, tanta vontade de viver. Eu desejo que nossos medos acabem, que nosso coração floresça com mais intensidade, que toda dor cure, que sejamos livres e felizes. Desde ja, amo vocês.


  8. Boa tarde minha irmã só tá no começo tem um ano e meio que está em tratamento de câncer olha que não tem ajuda nem mesmo do governo obrigada por me compreender não é fácil mas estamos na luta


  9. Amiga, meu irmão Lázaro é que está com câncer no estomago. Os exames mostraram Adenocarcinomainvasivo pouco diferenciado. Segunda feira ele vai ter consulta com oncologista pra ver que tratamento fará, pois no hospital o oncologista mandou ele pra casa e disse pra sua esposa:–Meu receio é que ele não aguente a quimio porque está muito fraco.


  10. Obrigada pelas informações, gostei muito. Em 2012 tirei um nodulo na mama fiz o tratamento. Hoje faço quimioterapia fiz uma cirurgia nas axilas e tenho metástase na coluna.


  11. Estou fazendo quimioterapia para tratar uma neoplasia de pâncreas que atinge as vias biliares. Após sete quimios e interrupções por baixa imunidade descobri uma metástase no pulmão. Fiquei muito emocionada com o relato porque estava com muito medo da metástase!!!muito importante para ajudar a vencer nossos medos !muito obrigada!!!PRISCILA


  12. Patrícia, Fernanda e a todas que compartilharam suas lutas minha gratidão e admiração!
    Hoje no final da quimioterapia o fantasma do medo começou a me rondar.. tive câncer de mama 2015 e no início de 2018 tive uma recidiva e precisei fazer mastectomia e linfonodo sentinela, enfrentei todas as etapas com fé, força e otimismo e agora me veio o medo, a incerteza, mas somos mais forte que tudo isso!!! Bora lutar e ser feliz!


  13. Fiz mastectomia com esvaziamento axilar, isso foi em fev /2016 mais até hj sinto muito incômodo no braço, alguém pode me dizer o que fazer pra amenizar este incômodo?
    Eu agradeço, um abraço!


  14. Poxa! Como foi bom ler o artigo e assistir o vídeo da Fernanda.
    Estou passando por esse processo de câncer metastático e foi motivador, visto que tenho tido muito medo.
    Obrigada a vocês.
    Beijo Patrícia e que o Senhor continue abençoando sua vida e de todas as guerreiras que estão nessa luta.


  15. Olá! Realmente o medo existe mas nada melhor do que ter pessoas por perto como vocês. Deus é o nosso refúgio é fortaleza socorro bem presente na angústia.


  16. Adoro as matérias muito motivadoras e instrutivas


  17. Fui diagnosticada com câncer de mama em setembro, com metástase no pulmão, começarei o tratamento dia 22/11, serão 6 siclos da vermelha a cada 21 dias, 12 brancas 1 por semana, a cirurgia e 26 rádios, tudo é muito novo para mim, confesso que assusta bastante,mas estou confiante se Deus quiser tudo vai ficar bem.


  18. Paty: não é mole. Quem em sã consciência quer ter câncer? Tenho 64 anos. Desde Abril passado, minha vida parece um lago.parado…fiz 2 químicos vermelhas. Na segunda, quase “empacotei”. Em 25 de Julho, fiz mas tectônica radical com esvaziamento axilar. Como o SUS tem milhares de pacientes, dia 13 de Novembro reinício a químio. Agora a branca (12 sessões 1x semana). Pra ser bem franca: TÔ DE SACO CHEIO!!!! Mas, contudo, todavia e não obstante…..vamos lá. DEUS ME PROTEJA


  19. querida, a doença só nos vence quando nos dobramos a ela… Quando temos medo, perdemos a nossa alegria de viver, deixamos de sonhar… Vencer o câncer na minha concepção vai além de se curar. É quando nos tornamos mais fortes e maiores que a doença!
    Desejo muita força, muita luz e sabedoria na sua jornada, viu?


  20. Tenho câncer Medular. câncer raro e agressivo. O cancer invadiu a traquéia. Fiz cirurgia e radioterapia. Este câncer que tenho nao trata com quimioterapia. Perdi a voz não me pergunte porque. ido traqueo. Não sinto cheiro. Um pedaço do pescosso nso sinto mais. Tenho metastase no pulmão. . Só como sopinhas e até água e difícil engolir. .
    Mas vou vivendo sem medos. Não tenho medo de morrer só tenho raiva da doença que acasbou comigo As vezes tenho depressão mas me esforço para superar. Como diz o cirurgião vou vivendo até a doença me vencer. Isso dura 02 anos.


  21. querida, que depoimento lindo!!!!!Parabéns pela força e superação!!!!! Desejo muita força, muita sabedoria e muita luz na sua jornada… Beijo no seu coração!


  22. Adorei o depoimento da Fernanda. Eu tenho câncer metástico, e ás vezes, me desespero. Fui diagnosticada com câncer na mama direita em setembro do ano passado (carcinoma lobular invasor grau 4). E em Dezembro fiquei internada alguns dias com derrame pleural bilateral. Eu sentia muitas dores, nas costas e costelas e após uma tomografia de tórax abdômen e pelve, descobri a metástase óssea, no pulmão direito várias lesões na coluna e pelve. Na hora eu não me dei conta da gravidade do que eu tinha, após a cintilografia óssea é que eu vi o quanto meus ossos estavam tomados. Fiz 4 sessões da quimio Vermelha, 16 das brancas, estou fazendo hormonioterapia há 2 meses (vou fazer por 5 anos) e por 2 ou 3 anos tenho que receber na veia o ácido zoledronico pros ossos, por causa da metástase. Quando entendi o que eu realmente tinha, porque os médicos não falam, levei um baita susto e pensei: “tenho 40 anos, um filho adolescente (13 anos), um filho especial (6anos), que é totalmente dependente e quase morri quando ele nasceu com 6 meses de gestacao incompletos por causa da eclampsia e suas complicações, QUASE morri e estou aqui. Agora sou paciente oncológico TERminal, porque, um câncer grau 4, com metástase óssea, pulmonar, derrame pleural, ascite, esforço respiratório, múltiplas lesões na coluna, arcabouço torácica e pelve e eu totalmente dependente dos outros pra tudo, não vou resistir. Ou, vou mostrar pro meu corpo que quem manda nele sou eu e mostrar pra Medicina que quem comanda a minha vida é DEUS, e ele me fez muito forte. Desde então, comecei o tratamento é hoje estou aqui, ainda em tratamento, mais forte e retomando o rumo de minha vida. Tenho medo da morte? Não mais. Hoje vivo um dia de cada vez e tento realizar os meus sonhos. Vida difícil né? Paciente oncológico e com filho especial! – Não! Vida abençoada ! E ano que vem começo um curso técnico que sempre sonhei fazer (já fiz matrícula). Vida difícil né? – Não! Vida renovada. E com muita fé em Deus! Sempre!


  23. Bom dia Paty! Tive cabcer de ovario a 1 ano, estou vivendo uma recidiva. Realmente a cada exame é um tormento até sair o resultado, voltei a fazer quimio, agora estou fazendo 28 seções de rádio, e continuo fazendo um tratamento com Avastin intra venosono. Tem dias que é muito difícil, mas minha forca vem de Deus, mesmo em dias difíceis sei que Ele está comigo e Nele eu vou vencer. Obrigada pela ajuda que vc tem dado a tantas pessoas que passam por esse momento tão difícil na vida. Vamos vencer o câncer em nome de Jesus. Beijos.


  24. Eu tive câncer de mama em 2013, fiz esvaziamento das axilas tirei 33 linfonodos e 30 estavam atingidos, fiz o tratamento venci. Agora em setembro de 2018 senti uma dorzinha tipo cólica de rim, sempre tive, mais eu já tinha percebido que era diferente a dor, fui no médico do rim, ele pediu uma tomografia. Ali no exame mostrou um nódulo no fígado, como eu já tenho meus médicos oncológicos a cinco anos corri mostrar é claro. Já no exame de sangue mostrava células cancerígenas, daí parti para outros exames onde os media desconfiavam, apareceu ovário/útero e nos ossos das costas, me desisperei naquele momento achei que já ia morrer, pois estava pobre por dentro. Mais como tenho Deus em minha vida, fui me acalmando pq Deus permite a luta mais nos ajuda a passar por ela, eu creio assim. Enfim já estou no tratamento e estou muito feliz, não siinto nada, procuro não pensar pq percebi que o que eu sinto é a tristeza ou medo de saber que a doença está ali, eu eu sempre falo o meu corpo é templo do Espírito Santo, e pronto, vivo feliz, tenho uma família maravilhosa que me ajuda muito graças a Deus. E desejo isso a todas, obrigada por ouvir meu desabafo. Que Deus abençoe todas nós.


  25. Vivo esse medo todo dia. Porque minha mae foi diagnosticada com cáncer de estómago em abril de 2017.
    Os médicos dizeram que ela nao pode fazer quimio e nem radio por conta da idade dela 81 anos. No diagnóstico nao tinha metastase. Agora. Dia 21/11 ela tem retorno e to aprensiva.


  26. Estou na luta contra o câncer há oito anos. Tive câncer de mama em 2010, dia anos depois metástase óssea e em 2014, tive na outra mama. Esses anos todos vivendo sim, com medo e angústia a cada novos exames. Faço tratamento na saúde pública, que embora seja muito boa, é bastante lenta, o que aumenta a angústia… Realmente te o medo é uma companheira constante… Ao ler esse artigo e assistir o vídeo, me deu uma nova luz, um UP, pra prosseguir. Não que eu tenha pensado em desistir, mas uma nova esperança pra Nunca desistir. Acho que a fé tem me ajudado muito… As dores são terríveis, e as vezes penso que não vou suportar, o remédio deixa de cumprir seu papel… E então bate maior deprê… Mas sei que Deus tem me sustentado. Eu sei em quem tenho crido… Compartilhar sentimentos e ajudar a outros é se grande ajuda não só para os recebem mas para quem se disponibiliza. Parabéns a você pela iniciativa. Deus a abençoe, sempre.
    Só para registrar passei por várias cirurgias, inclusive para retirar aa próteses, por rejeição… E agora minha luta é para não perder os movimentos dos membros inferiores e superiores… Metástase na coluna torácica lombar e arcos costais. Tô na luta, como muitas outras, e caminho para vencer. Um grande abraço, e mais uma vez, obrigada por compartilhar e ajudar tantas mulheres/homens e seus familiares.


  27. Olá Paty! Dia 5 /11/18 vou começar a fazer as 4 sessão de quimioterapia vermelha estou com muito medo da reação e também tenho medo ao término do tratamento a recidiva da doença. Afinal são tantos medos.Estou muitas feliz pela força q vc tens me passado sempre q posso estou assistindo os seus vídeos que tens me ajudado muito.Bjs

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *