Estou com Câncer, e agora ? Por onde começar após o Diagnóstico…

Estou com Câncer, e agora? 

Estou com Câncer, e agora

“Vou morrer?”

“Como será a minha vida daqui pra frente?”

“Quanto tempo ainda tenho de vida?”

“Como vou contar pra minha família?”

“O que farei quando ficar careca?”

Quem recebeu um diagnóstico de Câncer,  certamente viveu todos esses questionamentos.

Afinal, descobrir que temos Câncer é algo que ninguém está preparado para enfrentar…

E muitas vezes, nos deparamos com essa realidade, através de um médico, nem sempre sensível ao nosso drama, que nos dá o diagnóstico com a mesma naturalidade de quem fala que estamos com gripe.

Se você me acompanha há algum tempo, já sabe que fui diagnosticada na Alemanha. E o médico que me diagnosticou, obviamente, era alemão.

Se você  ainda não conhece a minha História e bateu curiosidade, basta clicar aqui:

Quem sou eu?

Bem, quanto ao médico que me diagnosticou, ele foi super atencioso, mas também muito prático e objetivo.

Me lembro como se fosse hoje, o que ele disse, com a maior naturalidade, após jogar uma bomba no meu colo: “Você recebeu uma má notícia. Mas a boa notícia é que nós conhecemos o inimigo e sabemos como combatê-lo”.

De repente, o gosto amargo que eu sentia na boca, foi substituído por um frio na espinha. Na mesma hora pensei: “Nós, quem?”

Me dei conta de que eu não sabia praticamente nada sobre a doença. Apenas que era uma doença grave e que mata!

Eu não tinha casos de Câncer na família. E de uma hora pra outra, me vi obrigada a me preparar para a batalha que teria pela frente.

Nessa mesma consulta, o oncologista me falou sobre meu protocolo de tratamento.

Então, tive que me familiarizar com termos que nunca havia escutado na vida: Esvaziamento axilar, her-2, hormônio dependente, quimioterapia vermelha, branca, linfonodos, etc.

Me senti totalmente perdida…

Sabia que teria pela frente uma série de desafios que precisava enfrentar. E não tinha a menor ideia de por onde começar.

A falta de conhecimento, não termos uma pessoa que nos guie, nos diga pra onde devemos ir, aumenta ainda mais a Angústia e o Medo.

Quando as pessoas sabem do nosso diagnóstico, elas nos perguntam como estamos,  nos aconselham a nos mantermos positiva, ou ter fé que iremos nos curar…

Mas ninguém diz pra gente  como é viver com câncer, ninguém  fala como tirar essa angústia do coração, esse medo do tratamento, esses pensamentos de morte que insistem em nos rondar…

Nesse Artigo, eu quero compartilhar o que eu gostaria de saber assim que fui diagnosticada.

E especialmente, te dar um direcionamento para que você saiba por onde  começar a se preparar para enfrentar seus desafios.

Estou com Câncer, e agora?

– Calma! Você não está morrendo!

Estou com Câncer, e agora

Essa é a primeira coisa que eu gostaria que me dissessem assim que eu recebi o diagnóstico.

Porque não tem jeito! A primeira coisa que a gente pensa quando recebe o diagnóstico é  que vamos morrer no dia seguinte, ou na melhor das hipóteses, no próximo mês!

O Câncer traz com ele, um estigma de morte, muito forte.

Tudo bem, não vamos ignorar a gravidade da situação:  Câncer mata!

E talvez por isso, receber um diagnóstico de Câncer seja tão desesperador…

Muitas vezes, a gente se pega perguntando quanto tempo de vida ainda temos.

Porém, receber um diagnóstico de Câncer não significa que você vai morrer.

Quer dizer, você vai morrer sim! Todos nós iremos! Mas, não necessariamente de câncer, nem em uma semana ou dentro de um mês, como a gente acredita.

Hoje em dia, a medicina está muito avançada e quanto antes você é diagnosticada, maiores as chances de cura.

E mesmo que a doença seja descoberta em estágio avançado e já tenha havido Metástases,  ainda assim, há muito a ser feito.

Existem diversos protocolos de tratamentos para dar qualidade de vida ao paciente e controlar a doença.

Portanto, Câncer tem cura e, quando não, é tratável!

Eu conheço diversas pessoas que têm câncer e convivem por anos e anos com a doença. E o mais importante: têm qualidade de vida e levam a vida normalmente.

– Sentir Medo e Tristeza é Natural!

Estou com Câncer, e agora

Quando a gente recebe um diagnóstico de Câncer, os conselhos que mais recebemos é para ficarmos positivas e termos fé para que a gente seja curada.

Eu sei que esses conselhos normalmente vêm de pessoas que querem o nosso bem. Mas eles não tem a menor noção do que estamos passando.

E por muitas vezes, esses conselhos bem intencionados se tornam um tortura psicológica a mais  na vida do paciente oncológico.

Porque na medida que associamos a nossa cura ao fato de termos fé  ou a nos mantermos positiva, a gente não se permite viver o luto dessa nova realidade.

E o dia que nos sentimos tristes ou angustiadas, também nos sentimos culpadas, pensamos que estamos sendo fracas e que não vamos nos curar por causa disso.

E aí, nos obrigamos a ficar sempre felizes e pra cima, para mostrar pra todo mundo que estamos tirando o câncer de letra, quando lá no nosso íntimo, estamos em pedaços.

A gente nega a nossa dor, se proíbe de chorar, mostrar nossas vulnerabilidades e pedir ajuda, porque temos que ficar positivas!

Não estou fazendo aqui apologia à tristeza. Quem me conhece, sabe que sou uma pessoa extremamente positiva. Sou feliz e gosto de levar a vida com leveza!

Mas diante de um Câncer, não há como você ficar 100% feliz, todos os dias, durante todo o tratamento!

Parece contraditório o que eu estou dizendo, até porque acho importantíssimo trabalharmos a nossa espiritualidade (independente de religião) e buscarmos padrões de pensamentos positivos.

Inclusive, existem estudos científicos. que comprovam o quanto os nossos pensamentos e emoções influenciam na biologia do nosso corpo e consequentemente podem colaborar com a cura de qualquer doença.

Além de serem de fundamental importância para quem deseja ter de uma vida saudável.

O que eu quero dizer é que sentir tristeza, medo e angústia, nesse caso, é perfeitamente normal! Não negue esses sentimentos. O dia que sentir vontade de chorar, chore!

Desde crianças somos educadas a não demonstrar nossa dor e tristeza. Quantas vezes você  escutou da sua mãe: “Engole o choro menina!”

Ou quando você caiu e ralou os joelhos, sempre tinha um adulto dizendo: “Não foi nada!”

Só que agora a vida te passou uma rasteira. Então, se tiver doendo, chore! Permita-se ! Está tudo bem! Acolha a sua dor.

Viva o seu luto e não se culpe por isso! Isso também faz parte da sua cura emocional.

– Não é sua Culpa!

Estou com Câncer, e agora

Quando ouvi isso da psicóloga que me atendia ainda no Hospital que fiz a mastectomia, chorei como uma criança que se culpa pela morte do seu cachorrinho.

Quando somos diagnosticadas, nos sentimos muito culpadas. Eu mesma, queria entender como eu cheguei a esse resultado tão ruim da minha vida.

O fato é que ninguém tem culpa por ter um câncer. Se você recebeu um diagnóstico, eu tenho certeza que você não desejou, nem mesmo premeditou isso!

E sentir culpa não vai te levar a lugar nenhum.

No entanto, tão importante quanto  não alimentarmos o sentimento de culpa, é que a gente não se esquive da nossa responsabilidade por recuperarmos a nossa saúde.

Porque na maioria das vezes, ou nos culpamos, ou simplesmente tiramos toda a responsabilidade da doença das nossas costas e colocamos nas costas de Deus e dos médicos:

“Se Deus quiser, Ele vai me curar!

“Eu nem quero saber muito sobre a doença, deixo o meu tratamento por conta do médico”.

Então deixa eu te falar, uma coisa muito importante: Não é sua culpa! Mas é sua responsabilidade!

Pare de se sentir vítima das circunstâncias e tome as rédeas da sua vida nas suas mãos!

Porque  vítima  não faz nada além de se lamentar e esperar que alguém tome alguma atitude em seu favor.

Mas tem muita coisa que você pode fazer para ajudar o seu processo de cura além do protocolo de tratamento imposto pelo seu médico. Faça a sua parte!

– Não se isole!

Estou com Câncer, e agora

Diante do diagnóstico, mesmo com apoio de amigos e familiares, a gente se sente muito só.

E muitas vezes, sofremos algumas decepções de pessoas que achávamos que iam nos apoiar e simplesmente  se afastam. E com isso, nos isolamos ainda mais . Mas esse comportamento no fim das contas é muito ruim.

Porque quando ficamos  trancadas em casa, vamos focar ainda mais na doença. E quanto mais focarmos na doença, advinha o que acontece?

Nos sentimos ainda mais doentes e esse isolamento pode colaborar para um estado depressivo.

Além disso, um tratamento de Câncer é longo.  E é muito comum nos sentirmos  inseguras e termos muitas dúvidas nesse período.

Acontece que por mais que a gente receba carinho e atenção das pessoas que nos amam, a grande verdade é que elas não entendem o que estamos passando.

E muitas vezes nos sentimos um peixe fora d`água.

Então, é muito bom a gente ter um grupo de apoio.

É muito bom ter com quem falar sobre as angústias e medos e até coisas mais corriqueiras do dia a dia, tipo: “É comum ter assadura na axila que fiz o esvaziamento axilar? Que desodorante você está usando?”

É importante você se relacionar com outras mulheres que estão passando ou passaram pelo mesmo processo que você e que te entendem de verdade.

Busque grupos de apoio na sua cidade, ou mesmo pela internet.

Você vai sentir que não é nenhum ET.

Afinal, o que você está vivendo hoje, muitas outras mulheres também estão passando e muitas outras já passaram e podem te sinalizar uma luz no fim do túnel.

 – Sua vida vai ser boa novamente!

Estou com Câncer, e agora

Eu sei que nesse momento você pode estar tão imersa na sua dor que você simplesmente não acredita que pode se ser feliz novamente.

Mas eu te garanto que existe muita vida depois do Câncer! A forma como você irá reconstruir a sua vida, depende de como você irá enfrentar seus desafios agora.

As escolhas que você fez te trouxeram até aqui e as escolhas que você fizer daqui pra frente, definirão o seu futuro.

Decida sair da condição de vítima e retomar o controle da sua vida.

Se você desde foi diagnosticada, está se sentindo totalmente perdida, e sem ter ideia do que fazer ou por onde começar…
Eu criei um Programa que vai te ajudar a resolver essas questões.

CLIQUE AQUI e saiba mais sobre o Programa. Assim, você vai conseguir sair deste ciclo de sofrimento e dor do jeito certo e com as ferramentas apropriadas.

Nesse vídeo você vai saber mais detalhes do Programa:

Eu vou te mostrar um caminho pra você sair dessa escuridão pós diagnóstico.

E você vai  poder seguir um passo a passo pra te trazer de volta a sua paz interior e  te dar a  clareza que você precisa  pra vencer  todos seus desafios.

Durante o Programa, nós vamos trabalhar essas questões mais profundamente:

1. entenda o que está acontecendo com você…

Estou com Câncer, e agora

Saiba que existem mais de 100 tipos de câncer. E atualmente 1 a cada 3 pessoas são diagnosticadas com Câncer em todo o mundo.

Câncer é natural e normal. Todo mundo tem células cancerígenas no corpo.

A diferença entre um paciente oncológico e uma pessoa que nunca teve câncer é o sistema imunológico.

O Câncer não surge do nada. Ele não é um alienígena de outro planeta que invadiu o seu corpo.

Foi o seu corpo que por alguma razão criou isso, São as suas células. É você!

É muito importante você buscar informações sobre o que está acontecendo no seu corpo.  Pesquise sobre o seu tratamento. Tire todas as dúvidas com seu Oncologista.

Esse é o primeiro passo para você  diminuir o seu Medo e Ansiedade e te trazer mais Autoconfiança.

E nós iremos abordar esse tema com mais profundidade na primeira semana do programa.

2. Recrie Hábitos Anticâncer

Estou com Câncer, e agora

Todos os estudos científicos são unânimes em afirmar que no máximo 15% da origem dos cânceres estão relacionados a genes. Ou seja, tem a ver com a hereditariedade.

E portanto, os outros 85% estão relacionados a Estilo de vida. E isso você pode mudar!

Com ajuda do programa, você irá se  conscientizar dos hábitos que promovem o surgimento e crescimento do câncer pra que você os elimine da sua vida,  criando um organismo inóspito pro câncer e facilitando o processo de cura do seu corpo.

3. Alcance um Estado de Espírito Anticâncer

Estou com Câncer, e agora

É de fundamental importância que você aprenda a lidar com o turbilhão de emoções que o diagnóstico provoca.

Você precisa aprender a identificar os gatilhos de stress e ansiedade e transformá-los em  energia e força que trabalhem em seu favor.

E especialmente,  Você precisa aprender a lidar com seus Medos e fantasmas para não correr o risco de viver eternamente com medo do câncer. Isso tudo você irá descobrir na terceira semana do Programa.

4. Reconstrua a sua vida após o Diagnóstico

Estou com Câncer, e agora

Deixa eu te falar uma coisa muito importante:  A vida não vai parar porque você ficou doente.

As pessoas, por mais que te amem, não vão parar de viver porque você está com câncer. E nem você! Então, não se enterre antes do tempo! Não se entregue, sem antes lutar!

Essa é a sua vida!

Durante todo o Programa, eu ajudo minhas coachees a focar nesses quatro passos para que elas consigam retomar o seu equilíbrio emocional.

Esse é o cainho mais fácil para enfrentar o diagnóstico com mais positividade e confiança.

Você precisa entender, que embora você não tenha escolhido ter um câncer, você pode decidir como vai passar por essa situação. Essa escolha ainda é sua!

Se você fez ou está fazendo um esforço imenso pra tentar manter um equilíbrio emocional e o controle , mas sente que o caos se instaurou  na sua vida desde que foi diagnosticada, você precisa fazer algo diferente.

Você quer a minha ajuda para resolver essa confusão de emoções  e pensamentos que você tá vivendo, para que você se sinta mais segura em relação a sua vida daqui pra frente?

Conheça o Programa  ESTOU COM CÂNCER E AGORA , um Guia simples e direto ao ponto , que dá um plano de ação para  você:
  • Superar o Medo e a Ansiedade
  • Retomar o seu equilíbrio emocional
  • Encontrar mais Clareza, Motivação e Confiança para enfrentar o diagnóstico
  •  Reconstruir a sua vida

Eu preparei esse vídeo ↓ onde eu mostro como isso é possível.

Com esse verdadeiro Guia você não se sentirá mais só e saberá exatamente por onde você precisa começar.

Você vai sair desse programa  muito mais equilibrada, determinada e pronta pra encarar seus desafios.

Mais confiante pra dar o seu primeiro passo em direção à reconstrução da sua vida.

O confronto com a doença é uma árdua jornada e esse programa se propõe a te mostrar qual o melhor caminho.

CLIQUE AQUI PARA COMEÇAR JÁ!  Vamos juntas!!!!

10 Comentários


  1. Oi Regiane,
    Converse abertamente com seu novo médico a respeita da sua insegurança. Não dá pra ficar comparando protocolos de tratamento. Cada caso é um caso! Até onde sei quando o câncer é detectado muito no inicio e o tumor é muito pequeno não há necessidade de quimio. Talvez seja esse o seu caso. Mas repito, a melhor pessoa pra te dar essa informação é o seu oncologista. Beijão!


  2. Oi Ana, segundo o autor do livro: Barriga de trigo que é cardiologista especializado em medicina preventiva, essas farinhas embora sejam mais saudáveis que a farinha de trigo, também causam picos de insulina no nosso organismo. O que é um veneno para quem teve ou tem câncer.
    Ele recomenda farinha de acastanhas, linhaça e farinha de coco. È o que procuro usar desde que tive acesso a essas informações.


  3. Gostaria de saber se a farinha de arroz comum e a integral e a fecula de batata é bom para a saúde na fabricação de pães e bolos.


  4. Olá recetemente o meu plano afastou o medico que me acompanhava devido a idade dele agora o novo medico não me disse mas a gente percebe né não gostou do tratamento e ficou surpreso pois só fiz as aplicações de herceptim e uso tamoxifeno dai ele trocou o medicamento por anastrazol e pediu que fizesse novos exames agora fico na duvida será que o tratamento esta errado? a maior parte das pessoas que teve o mesmo tipo que eu de cancer fiz a quimio e eu só herceptim aff estou mega preocupada será que meu pesadelo irá iniciar novamente? Detalhe tudo isso acontecendo na mesma semana em que fez 2 anos que meu mundo desabou


  5. Passei por isso tudo, SÓ fiz a ilustre pergunta para o médico,vou morrer?larguei o cigarro no dia seguinte e nao tomei nada com álcool.Tive medo,raiva,forças e muita coragem.Estou bem quase três anos .20 linfomas retirados nenhum doente.sorte heim?Vou ao médico de seis em seis meses e faço exames tudo bem.Mas fico sempre de olho.

Página 1 de 2 Próximo →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *