Efeitos colaterais da quimioterapia: você conhece quais são?

A quimioterapia é um tratamento muito comum para os pacientes diagnosticados com algum tipo de câncer. Mesmo sendo uma das alternativas mais eficazes para tratar a doença, existem muitos efeitos colaterais da quimioterapia que fazem com que esse período seja bem difícil. 

 

Geralmente, a quimioterapia é dada por acesso venal e percorre todo o corpo do paciente, isso com a finalidade de destruir apenas a célula danificada que está se reproduzindo e gerando o câncer, entretanto, várias estruturas corporais acabam sendo atingidas.

 

Mas, também, hoje em dia é comum utilizar o cateter. Tem artigo sobre isso no meu blog!

 

Assim, o efeito colateral da quimioterapia é, mais ou menos, o mesmo para todos os tipos de cânceres. Felizmente, é possível ter um controle dos sintomas por meio da alimentação e mudanças de hábitos, fazendo com que eles fiquem mais brandos. 

efeitos colaterais da quimioterapia
É possível controlar os efeitos colaterais da quimioterapia com uma boa alimentação. | Foto: Freepik.

Quais são os efeitos colaterais da quimioterapia?

Existem vários tipos de quimioterapia: a branca, a vermelha, a laranja, etc. Muita gente acha que a vermelha é mais forte que a branca, entretanto, a diferença entre as duas não é que uma é mais forte que a outra. 

 

A quimioterapia branca é chamada assim quando a mistura dos medicamentos fica sem cor, já a vermelha quando a coloração assume um tom avermelhado. E isso acontece com as demais colorações, como a laranja.

Antes de mais nada, saiba que essa classificação da quimioterapia em cores é comum entre os pacientes, mas não é assim que a medicina as classifica.

 

Os efeitos colaterais da quimioterapia vermelha são distintos dos efeitos colaterais da quimioterapia branca, mesmo que, às vezes, haja semelhanças entre eles. 

 

Além dos efeitos colaterais que são sentidos pelo paciente durante essa fase de tratamento, existe a possibilidade de aparecer sequelas da quimioterapia. Alterações no pulmão, no coração e problemas de fertilidade são algumas delas. Mas, calma! Primeiro pense em acabar com o câncer que você tem agora, pois só isso importa nesse momento. 

 

E antes que você tenha um mini infarto, saiba que nem todo mundo tem esses efeitos colaterais, ok?

Eu mesma fiz 16 ciclos de quimioterapia e estou aqui, viva e saudável, para te provar que existe vida após a quimioterapia.

Quimioterapia branca

Durante o tratamento da quimioterapia branca, o corpo fica sujeito a pegar qualquer tipo de infecção, uma vez que há uma redução de células de defesa que protegem o corpo da entrada de agentes estranhos.

 

A queda de cabelo também é um efeito colateral recorrente, assim como diarreia, vômito, náusea, pele ressecada, dores na articulação e o diagnóstico de doenças do sistema nervoso, as chamadas neuropatias. 

Quimioterapia vermelha 

A quimioterapia vermelha tem alguns efeitos colaterais que são os mesmos da quimioterapia branca: a alopecia, que é a queda de pelos corporais e de cabelo, as náuseas e os vômitos. Indisposição e falta de apetite também aparecem em ambos os tratamentos com frequência. 

 

A insuficiência cardíaca também pode aparecer em ambos os tratamentos, entretanto, na quimioterapia vermelha ela é mais rara. Outros efeitos são: aftas e aparecimento de feridas e inflamação na boca, diminuição de células sanguíneas, que tem a anemia, e a queda do número de glóbulos brancos e das plaquetas como consequência. 

 

Veja, a seguir, as dicas que selecionei para você minimizar os efeitos colaterais da quimioterapia:

Como minimizar os efeitos colaterais da quimioterapia?

O tempo que passei fazendo quimioterapia não foi fácil. Haviam dias que eu não queria nem sair da cama, estava realmente muito cansada, sem ânimo e sem vontade nenhuma de comer. 

 

A decisão de ter uma vida saudável durante essa fase da minha vida veio não só para reinventar o significado do câncer para mim, mas também para me ajudar a enfrentar esse momento de forma que os efeitos colaterais fossem mais amenos. 

 

Assim, descobri que a forma como eu me alimentava interferia bastante em como eu sentia esses efeitos colaterais no meu dia a dia. Dessa forma, a melhor forma de minimizar esse mal estar é por meio de uma alimentação mais saudável. 

 

Portanto, para cada efeito colateral, há uma forma de amenizá-lo, utilizando a alimentação saudável como aliada!

Náusea e vômitos

A náusea causa uma sensação horrível no corpo, entretanto, esse não é um efeito tão perigoso quanto o vômito, que pode causar uma desidratação severa no corpo. 

 

É interessante incluir no cardápio alimentos que sejam antieméticos naturais, como gengibre, chá de camomila e banana. Além disso, eu recomendo não comer nada que seja muito doce ou forte, como cebola e café. 

Diarreia

A diarreia em pacientes com câncer acontece porque a quimioterapia atinge todo o organismo, podendo fazer com que o funcionamento do intestino grosso e do intestino delgado fique corrompido. Esse é um efeito colateral muito perigoso, pois pode fazer com que o corpo do paciente fique desidratado. 

 

Assim, além de bastante água, é importante ingerir alimentos que inibem o avanço da diarreia. Algumas dessas comidas são banana, maçã, pera sem casca e mandioca.

Prisão de ventre 

Na maioria das vezes, a prisão de ventre acontece pela falta da inclusão de fibras na alimentação. O acúmulo de fezes dentro do corpo é muito ruim pois, além da sensação de inchaço, esse é um sinal de que o organismo está trabalhando de forma lenta, o que é ruim para todo mundo. 

 

Por isso, é extremamente importante colocar alimentos com fibra no cardápio, sejam eles grãos, farelos e farinhas integrais, pães integrais, leguminosas e algumas frutas, como a laranja. Além disso, é muito importante não ingerir glúten!

Boca seca 

Para evitar a boca seca, também conhecida como xerostomia, é preciso beber bastante água e comer alimentos que sejam mais caldosos e molhados, como purês e mingau. Os sucos também são muito bem vindos. 

 

Além disso, é interessante deixar de lado alimentos que sejam mais duros e secos e tudo que seja muito doce, pois essas comidas fazem com que a gente tenha que produzir mais saliva para que eles possam ser digeridos, aumentando a sensação de boca seca. 

 

Novamente, digo que é muito importante beber muita água!

Mucosite 

Para a mucosite, que é a inflamação bucal que pode causar ferimentos, não existe um cardápio ideal a ser seguido. O recomendado é deixar de comer alimentos que estejam muito quentes ou muito frios e que sejam condimentados. 

 

Além disso, é preciso se hidratar frequentemente e optar por escovar o dente com uma escova com cerdas macias e com uma pasta que tenha flúor em sua composição.

Alterações no paladar 

Os bochechos com bicarbonato de sódio também funcionam para a diminuição no paladar, assim como a utilização de recipientes de vidro para armazenamento de alimentos e mascar chiclete de menta ou de gengibre.

Neutropenia

Para evitar a neutropenia, um dos efeitos colaterais da quimioterapia, é preciso ter muita certeza da procedência dos alimentos, para que eles não estejam contaminados, além de evitar comidas que possam gerar alguma infecção e ter uma atenção redobrada na higiene pessoal. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *